A INSERÇÃO NO MERCADO DE TRABALHO DE PESSOAS TRANSEXUAIS: UM ESTUDO DE GÊNERO

DOCUMENTAÇÃO

Tema: Gestão de RH

Temas Correlatos: Teoria das Organizações;

Acessos neste artigo: 72


Certificado de participação:
Certificado de Julia Demarchi Azevedo Sala

COMPARTILHE ESTE TRABALHO

AUTORIA

Julia Demarchi Azevedo Sala , Marcos De Carvalho Dias

ABSTRACT
Este artigo científico aborda os desafios e oportunidades relacionados à inclusão de pessoas transexuais no mercado de trabalho brasileiro. A pesquisa foi realizada por meio de um questionário enviado a sete pessoas autodeclaradas transexuais na região de Campinas, São Paulo. Os resultados revelam que a maioria dos entrevistados não possui emprego formal, sendo que apenas 28,57% trabalham com vínculo empregatício. Além disso, a análise dos dados mostra que a discriminação e o preconceito são os principais obstáculos enfrentados por pessoas trans na busca por emprego e na manutenção de seus empregos. O artigo também discute a importância da criação de políticas públicas e iniciativas privadas voltadas para a inclusão de minorias, destacando a necessidade de combater a exclusão social e econômica que afeta esse grupo. Por fim, são apresentadas recomendações para empresas e órgãos governamentais visando à promoção da diversidade e igualdade de oportunidades no mercado de trabalho brasileiro, contribuindo para a construção de uma sociedade mais inclusiva e justa.

Para participar do debate deste artigo, .


COMENTÁRIOS
Foto do Usuário Guilherme Salm Duarte 05-11-2023 01:16:29

É encorajador ver que esse tópico está sendo abordado de forma séria e informativa. A discussão sobre os desafios enfrentados por essa comunidade e as oportunidades para promover a diversidade e a igualdade de oportunidades no ambiente de trabalho é crucial para construir um ambiente profissional mais inclusivo e equitativo. Além disso, o fato de o artigo apresentar recomendações práticas para empresas e órgãos governamentais é muito positivo. Isso indica um compromisso real em fazer a diferença e criar ambientes de trabalho mais acolhedores e inclusivos para pessoas transexuais. Essas sugestões podem servir como um guia valioso para as organizações que desejam implementar políticas e práticas mais inclusivas. Parabéns pelo trabalho!!

Foto do Usuário álaze Gabriel Do Breviário 30-11-2023 18:58:14

Sala et al (2023), abordam bem a temática, conduzem bem a pesquisa científica, apresentam resultados consistentes tanto com a literatura científica quanto com a realidade observada no mercado de trabalho. As minorias sempre tiveram dificuldade de se (re)colocar no mercado de trabalho, sejam os deficientes, os LGBTQIA+, os superdotados, os hipossuficientes, os idosos. No caso específicos na inserção das pessoas transexuais no mercado de trabalho brasileiro, os resultados que ''revelam que a maioria dos entrevistados não possui emprego formal, sendo que apenas 28,57% trabalham com vínculo empregatício.'' Essa realidade é facildade observada em qualquer um dos 5.570 municípios brasileiros; bastam algumas conversas em um SINE, agências de trabalho, ou com alguns recrutadores, ou mesmo em CRAS/CREAS, que atendem famílias em situação de vulnerabilidade socieconômica de baixa e média (CRAS) e alta (CREAS) complexidades, respectivamente, incluindo as pessoas transexuais.

Utilizamos cookies essenciais para o funcionamento do site de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.