EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA COMO POLÍTICA PÚBLICA: ANÁLISE DA FORMAÇÃO DA AGENDA GOVERNAMENTAL BRASILEIRA À LUZ DO MODELO DE MÚLTIPLOS FLUXOS

DOCUMENTAÇÃO

Tema: Administração Pública

Temas Correlatos: Educação;

Acessos neste artigo: 88


Certificado de participação:
Certificado de Nayara Gonçalves Lauriano
Certificado de Alan De Paula Silva

COMPARTILHE ESTE TRABALHO

AUTORIA

Nayara Gonçalves Lauriano , Alan De Paula Silva

ABSTRACT
O presente artigo analisa o processo de formação da agenda governamental para a Educação Profissional e Tecnológica no Brasil. Trata-se de um estudo de caso apoiado no Modelo de Múltiplos Fluxos (MMF) de John Kingdon. Desse modo, elementos teóricos foram identificados sob uma realidade empírica, de modo a contribuir para a exploração de um tema ainda pouco frequente nos estudos educacionais acerca do contexto brasileiro. Nas últimas décadas, a educação profissional vem apresentando como temática com foco político explícito, apresentando-se como como elemento importante para todos os países, nos mais diversos contextos culturais, sociais e econômicos. Contudo, Brasil encontra-se em um dos últimos lugares do mundo na oferta de educação profissional. Além disso, no Brasil, a educação profissional e tecnológica destacada como elemento de relevância social. Apoiado em pesquisa bibliográfica e documental, este estudo demonstra que a dinâmica política, mais especificamente, mudanças no governo, posiciona com mais clareza como a circunstância favorável para o acesso do tema à agenda governamental. Aponta-se para um processo complexo de identificação de atores invisíveis frente ao imperativo de atuação apresentado, sobretudo, por atores políticos do Executivo.

Para participar do debate deste artigo, .


COMENTÁRIOS

Utilizamos cookies essenciais para o funcionamento do site de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.