O papel das emoções na percepção da qualidade no turismo de experiência

DOCUMENTAÇÃO

Tema: Ensino e Pesquisa em Administração

Temas Correlatos: Ensino e Pesquisa em Administração;

Acessos neste artigo: 99


Certificado de publicação:
Certificado de Vitor Colodette

Certificado de participação:
Certificado de Paola Brusco Ribeta

COMPARTILHE ESTE TRABALHO

AUTORIA

Vitor Colodette , Daniel Lanna Peixoto , Paola Brusco Ribeta , Nicoly Saick Petroneto

ABSTRACT
O setor de turismo desempenha um papel socioeconômico vital no Brasil, sendo impulsionado por tendências como experiências turísticas enriquecedoras e influência da internet na decisão de viagem. A qualidade dos serviços turísticos se tornou um fator determinante para a satisfação do cliente, enquanto as emoções desempenham um papel crucial na percepção da qualidade. As experiências turísticas são únicas e intangíveis, exigindo confiança nas descrições fornecidas e influenciadas pelas emoções geradas. A relação entre qualidade percebida e satisfação do cliente é mediada por emoções como alegria e encantamento. Além disso, as emoções moldam como os turistas compartilham suas experiências, afetando a reputação do destino. O turismo de experiência busca criar vivências autênticas e memoráveis, gerando impacto nas opiniões dos turistas e na reputação do destino. Portanto, a compreensão das emoções na percepção da qualidade no turismo de experiência é essencial para aprimorar a satisfação do turista e o desenvolvimento sustentável do setor.

Para participar do debate deste artigo, .


COMENTÁRIOS
Foto do Usuário álaze Gabriel Do Breviário 30-11-2023 08:58:04

Colodette et al (2023), o trabalho de vocês é bastante contribuidor mormente para a área de Turismo, que é um subcampo da Administração. Realmente, as experiências turísticas que vivenciadmos, monitoradas ou não, documentadas ou não, pagas ou gratuitas, são permeadas de emoções. Esse trabalho de você me fez lembrar de todos os parques, museus, observatórios, bibliotecas, empresas, universidades (IES em geral), templos religiosos, zoológicos, praias, dentre muitos outros espaços turísticos que eu visitei ao longo da minha vida, tanto na minha trajetória acadêmica, quanto na profissional, na religiosa, ou na cívica, e que me trouxeram emoções de alegria, contentamento, prazer, superação, satisfação, progresso, sucesso, resultado de experiências turísticas muito positivas, e que inspiram a continuarm vivenciando-as. Enquanto vivi no Estado de São Paulo (por mais de 5 anos, em várias cidades, incluindo a capital paulista) eu visitei mais de 60 museus, 30 parques, 50 bibliotecas, inúmeras unidades de assistência social, muitas universidades, zoológicos, empresas, etc.. Em MG, onde nasci e vivi a maior parte da minha vida, eu também vivenciei experiências como essas, mas em menor quantidade, em razão de eu ter vivido em cidades pequenas de MG, enquanto em SP em vivi no coração do Brasil, a capital paulista, conhecendo SP capital, a Grande São Paulo e o Estado de SP todo, vivi em São Carlos, em Irirapina, entre outras cidades. O que o estudo de vocês apontam como necessidade, como empresas podem personalizar abordagens para atender diferentes grupos turísticos, eu concordo plenamente, gostaria que minhas próximas experiências turísticas fossem todas em grupos, monitoradas e completamente documentadas com fotos, vídeos, álbuns, depoimentos, etc., que não apenas afloram as emoções positivas citadas, mas as transformam em memórias inesquecíveis.

Utilizamos cookies essenciais para o funcionamento do site de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.