Abordagens Para Potencialziar a Produtividade e o Engajamento Organizacional no Período Pós-Pandemia de Covid-19.

DOCUMENTAÇÃO

Tema: Ensino e Pesquisa em Administração

Temas Correlatos: Ensino e Pesquisa em Administração;

Acessos neste artigo: 81


Certificado de publicação:
Certificado de Monika Fritz

Certificado de participação:
Certificado de Evelin Cristina De Goes

COMPARTILHE ESTE TRABALHO

AUTORIA

Monika Fritz , Dayane Adrielli Schneider , Evelin Cristina De Goes , Reinaldo Dallagrana

ABSTRACT
A pandemia de COVID-19 moldou a cultura organizacional, redefinindo trabalho remoto. Estudo investiga impactos e relevância da gestão da mudança para adaptação, potencializando a produtividade e o engajamento organizacional. A cultura humana se manifesta em comportamentos enraizados, moldando ações em diversos contextos, incluindo o ambiente corporativo. A pandemia de COVID-19 redefiniu relações de trabalho, gerando impactos duradouros. Este artigo aborda os efeitos da pandemia na cultura organizacional, especialmente no trabalho remoto. A investigação é embasada em uma revisão literária global, analisando mudanças culturais e suas consequências. Destaca-se a relevância da Gestão da Mudança, enfatizando a necessidade de processos bem estruturados e profissionais capacitados para lidar com essas transformações. O estudo visa a compreensão dos impactos e a importância da Gestão da Mudança na implementação bem-sucedida de inovações em ambientes organizacionais.

Para participar do debate deste artigo, .


COMENTÁRIOS
Foto do Usuário álaze Gabriel Do Breviário 30-11-2023 10:41:14

Schneider et al (2023), o trabalho de vocês aqui é muito rico de informações. Gostei. Meus parabéns a vocês!!! Cruzando os conteúdos trazidos por vocês sobre Gestão da Mudança com outros encontrados na vasta literatura crítica sobre liderança organizacional, modelos de gestão organizacional, processos organacionais, dentre outros, no subcampo de Recursos Humanos, dentro do grande campo da Administração, percebe-se que a ela pode ser entendida como um sistema de gestão, ou modelo de gestão, organizacional, que pode ser aplicada em empresas privadas e públicas, órgãos públicos em geral, religiões, IES, e outros espaços da sociedade. Esse sistema, ou modelo de gestão, traz consigo um cojunto de estratégias, ferramentas, conceitos e práticas capazes de reeorganizar e reposicionar uma organização no cenário socioeconômico contemporâneo, seja em nível regional, nacional ou até mundial, dependendo da abrangência geográfica da atuação da organização. Sobre os estilos de liderança, foram citados 6, sendo que a literatura crítica sobre essa temática específica apresenta muitos outros, considerando a Liderança Situacional a principal de todas, que não foi apresentada nem mesmo mencionada no artigo de vocês. Seu principal autor foi Kenneth Hartley Blanchard, um autor americano e especialista em gestão. Sua extensa carreira de escritor inclui mais de 60 livros publicados, a maioria dos quais são obras co-escritas. Seu livro mais bem sucedido, The One Minute Manager, vendeu mais de 13 milhões de cópias e foi traduzido para muitas línguas. Blanchard é também o diretor espiritual da The Ken Blanchard Companies, uma empresa internacional de treinamento e consultoria de gerenciamento que ele e sua esposa, Marjorie Blanchard, co-fundaram em 1979 em San Diego, Califórnia. Seus livros podem ser adquiridos em: https://www.amazon.com.br/lideran%C3%A7a-situacional-ken-blanchard/s?k=lideran%C3%A7a+situacional+ken+blanchard. Todo o referencial teórico apresentado é consistente com as diversas literaturas críticas, e cada uma das temáticas com as quais dialogam. As 35 referências citadas comprovam a relevância, o nível de atualização e de impacto, da revisão bibliográfica e documental conduzida, que, a meu ver, pode e dever ser considerada uma pesquisa secundária de alto nível, que poderia ter sido publicada como artigo científico de uma revista científica Qualis B3 para cima.

Foto do Usuário Jose Thiago Andrade Silva 01-12-2023 01:00:36

Seu estudo sobre as abordagens para otimizar a produtividade e o engajamento organizacional no período pós-pandemia é abrangente e bem fundamentado. Destacam-se vários pontos-chave que refletem a complexidade das dinâmicas organizacionais nesse contexto específico. A ênfase na cultura organizacional como um elemento crucial é particularmente relevante. A compreensão profunda dos valores, crenças e comportamentos compartilhados dentro de uma organização é fundamental para a adaptação bem-sucedida a desafios, como os impostos pela pandemia. Além disso, o reconhecimento da liderança como agente de transformação é vital. Sua descrição da liderança não apenas como orientadora das mudanças, mas como criadora de um ambiente propício para a aceitação e assimilação, destaca a importância do papel dos líderes na gestão eficaz da transição pós-pandemia. A abordagem estratégica para o gerenciamento da mudança e do desenvolvimento organizacional é ressaltada como um requisito essencial. A necessidade de inovação para enfrentar os desafios inéditos e a ênfase na importância do trabalho home-office como uma mudança significativa no ambiente de trabalho contemporâneo são bem articuladas. Além disso, sua observação sobre a necessidade de uma abordagem holística, considerando tanto aspectos tangíveis quanto intangíveis da cultura corporativa durante a implementação de mudanças, é fundamental. Isso destaca a complexidade do processo de adaptação e a importância de uma visão abrangente. Em última análise, sua pesquisa oferece uma visão integrada das interconexões entre cultura organizacional, desafios no ambiente de trabalho, trabalho home-office e liderança como facilitadora de mudanças. A compreensão desses componentes é, como você destaca, essencial para que as organizações se adaptem com sucesso ao cenário pós-pandêmico, garantindo sustentabilidade e crescimento.

Utilizamos cookies essenciais para o funcionamento do site de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.