Uso de Alegações em Suplementos Alimentares

DOCUMENTAÇÃO

Tema: Educação Física, Nutrição, Fisioterapia e áreas afins na Gestão, Educação e Promoção da Saúde

Temas Correlatos: Educação Física, Nutrição, Fisioterapia e áreas afins na Gestão, Educação e Promoção da Saúde;

Acessos neste artigo: 223


Certificado de participação:
Certificado de Lucile Tiemi Abe-Matsumoto

COMPARTILHE ESTE TRABALHO

AUTORIA

Lucile Tiemi Abe-Matsumoto , Mahyara Markievicz Mancio Kus Yamashita

ABSTRACT
O trabalho teve como objetivo avaliar o uso de alegações e expressões não autorizadas em rótulos de suplementos alimentares contendo substâncias que ainda não possuem alegações aprovada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA). Foram avaliadas 18 amostras colhidas pelas Vigilâncias Sanitárias do Estado de São Paulo para fins de fiscalização no ano de 2021e 2022. Dessas, oito amostras (44%) apresentaram algum tipo de alegação e/ou expressão não autorizada no rótulo, estando, portanto, em desacordo com a legislação. Os constituintes para uso em suplementos alimentares deveriam ser aprovados para uso somente após autorização de pelo menos uma alegação, para que o consumidor possa identificar sua finalidade de uso.

Para participar do debate deste artigo, .


COMENTÁRIOS

Utilizamos cookies essenciais para o funcionamento do site de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.