SATISFAÇÃO NO TRABALHO: UM ESTUDO COM TÉCNICOS ADMINISTRATIVOS DE UMA UNIVERSIDADE FEDERAL BRASILEIRA

DOCUMENTAÇÃO

Tema: Gestão de RH

Temas Correlatos: Administração Pública;

Acessos neste artigo: 105


Certificado de Publicação:
Não disponível
Certificado de Participação:
Não disponível

COMPARTILHE ESTE TRABALHO

AUTORIA

Marilda Diogo Pinheiro , Wellem Siqueira Da Conceição , Carlos Andre Correa De Mattos

ABSTRACT
Satisfação no trabalho é um tema central para o cotidiano organizacional e, como tal, tem recebido atenção das pesquisas científicas. Assim, acompanhar a satisfação dos trabalhadores e agir para torná-la satisfatória, revela-se crucial para excelência organizacional, uma vez que trabalhadores satisfeitos são mais dispostos a oferecer serviços de qualidade. Fortemente associada a comportamentos valorizados no ambiente organizacional, a satisfação é necessária para manter talentos na organização. Assim, considerando esses aspectos, o objetivo deste estudo foi analisar a satisfação no trabalho de servidores federais da educação superior, lotados em uma universidade federal da Região Norte do Brasil. Para tanto, foi realizada uma survey descritiva com amostragem não probabilística por acessibilidade e tratamento quantitativo de dados, baseada na Escala de Satisfação no Trabalho (EST). Os resultados convergiram com pesquisas que mostram satisfação no trabalho na educação com intensidade moderada. Os aspectos positivos foram os colegas, chefias e as tarefas e, com menor satisfação, salário e promoções. Destacou-se a relação entre tarefas e colegas, evidenciando a presença de equipes de trabalho e integração entre os técnicos administrativos. Os achados recomendam estratégias de valorização da carreira e maior reconhecimento pelo trabalho como formas de melhorar a educação superior federal.    

Para participar do debate deste artigo, .


COMENTÁRIOS
Foto do Usuário Natali Regina Farias Da Costa 27-10-2023 14:23:00

Muito bom o trabalho. Esse assunto sempre vai me chamar atenção. Sabemos que os seres humanos pensam e agem de formas diferentes. Saber identificar e analisar fatores comportamentais dentre tantas circunstâncias ocorridas no seu cotidiano, é extremamente importante para saber e manter os níveis de satisfação tanto profissional como pessoal dos indivíduos.

Foto do Usuário álaze Gabriel Do Breviário 04-12-2023 10:41:56

Pinheiro, Conceição e Mattos (2023), gostei do vosso trabalho. Bem redigido, bem conduzido. Fundamentação teórica coerente e consistente com a literatura científica da temática, e com a realidade. Vocês usaram amostragem não probabilística por acessibilidade e tratamento quantitativo de dados. Vou expor aqui o que aprendi durante os cinco anos nos quais mantive vínculo com o bacharelado em Estística da UFSCar. Uma pesquisa é caracterizada como quantitativa quando são empregadas técnicas estatísticas próprias da Estatística Probabilistica Inferencial. Probabilística porque? Porque seguem critérios de seleção da amostra e procedimentos técnicos bem rigorosos, diferentes da Estatística Descritiva, ou mesmo quando se usa amostragem não probabilística, tal como vocês usaram. Inferencial porque? Porque as análises estatística inferenciais, tais como a Análise Correlacional, a Análise de Sensibilidade, a Análise Fatorial, a Análise de Regressão, etc., permitem não apenas cacaterizar uma população, mas também correlacionar as suas variáveis, compreender suas causas, projetar seus comportamentos futuros, etc., produzindo inferências. Um trabalho que utiliza a Análise de Correlação e também a considera pesquisa quantitativa é o de Oliveira et al (2022), publicado na Revista de Engenharia e Tecnologia. Fonte: https://revistas.uepg.br/.../article/view/19895/209209216416. Mas foi considerada pesquisa quantitativa porque além de inferencial, também usou amostragem probabilística. Até o que sei, com base no que aprendei com meus professores(as) doutores(as) em Estatística na UFSCar, uma pesquisa tal como a de vocês, que usa Análise Correlalacional, que é inferencial, mas não usa amostragem probabilística, não é considerada pesquisa quantitativa em sentido stricto sensu, mas somente em sentido lato sensu. No geral, trabalho ótimo. Parabéns a todos os participantes de dessa pesquisa!!!

Foto do Usuário Gilson Irineu De Oliveira Junior 05-12-2023 22:28:32

Aspectos da satisfação certamente estimulam o rendimento na produção no trabalho, e mensurá-la é um desafio, sendo o texto assertivo em relação à mensuração deste aspecto.

Utilizamos cookies essenciais para o funcionamento do site de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.