Resistência À Doenças Foliares do Milho em Famílias de Meio-Irmãos de Uma Variedade de Polinização Aberta

DOCUMENTAÇÃO

Tema: Fitopatologia

Temas Correlatos: Genética;

Acessos neste artigo: 79


Certificado de publicação:
Certificado de Tainá Caroline Kuhn

COMPARTILHE ESTE TRABALHO

AUTORIA

Tainá Caroline Kuhn , Chaiane Bonessi Balbinot , Sara Vitória Hoepers , Beatriz Lôndero Ferrari , Julia Cesa Guerreiro Moreira , Cecilia Rauber Barth , Nathalia Rauber De Vargas , Polianna Bianca Gerhardt , Volmir Kist

ABSTRACT
A Cercosporiose (Cercospora zeae-maydis e Cercospora zeina) e a Helmintosporiose (Exserohilum turcicum) estão entre as principais doenças do milho (Zea mays L.) no Brasil e no mundo. Este trabalho teve por objetivo avaliar a resistência à cercosporiose e à helmintosporiose em 71 famílias de meio-irmãos de uma variedade de polinização aberta no primeiro ciclo de seleção de um programa de melhoramento. Foram avaliadas 71 famílias de meio-irmãos (FMI), obtidas de uma variedade de polinização aberta do oeste catarinense, em um experimento localizado em Concórdia - SC. Os tratamentos foram discriminados através das áreas abaixo da curva de progresso das doenças (AACPD). Há variabilidade genética entre as FMI para as características resistência à helmintosporiose e à cercosporiose. As FMI 9, 19 e 26 demonstraram ser genótipos promissores para uso em programas de melhoramento que visam a obtenção de variedades com resistência a ambas as doenças avaliadas neste estudo. 

Para participar do debate deste artigo, .


COMENTÁRIOS

Utilizamos cookies essenciais para o funcionamento do site de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.