MONITORAMENTO DA PALMA FORRAGEIRA COM SENSOR RGB EM VEÍCULOS AÉREOS NÃO TRIPULADOS

DOCUMENTAÇÃO

Tema: Agrometeorologia e Geotecnologia

Temas Correlatos: Agrotech e desenvolvimento rural;

Acessos neste artigo: 255


Certificado de Publicação:
Não disponível
Certificado de Participação:
Não disponível

COMPARTILHE ESTE TRABALHO

AUTORIA

Henrique De Souza Gomes , Rafael Silva Souza , Antonio Henrique Cardoso Do Nascimento , Alan Cezar Bezerra , Thieres George Freire Da Silva , Elisiane Alba

ABSTRACT
O uso de plantas forrageiras adaptadas às condições climáticas da região é uma alternativa importante na produção agropecuária, especialmente em regiões áridas e semiáridas. A palma forrageira é uma cultura utilizada nessas regiões devido ao seu bom rendimento de biomassa fresca, elevado teor de água, boa aceitabilidade e baixo custo de produção. O sensoriamento remoto tem sido uma ferramenta utilizada no monitoramento agrícola, mas a sua adoção tem sido limitada devido às demandas por mapeamentos com resoluções espaciais em escalas centimétricas e a presença de nuvens. Recentemente, a popularização dos VANTs tem voltado a dar destaque a essa tecnologia por apresentar um potencial de aplicações e superar as dificuldades apresentadas pelo setor. Este projeto busca investigar a resposta espectral de índices de vegetação no visível da palma forrageira a partir de sensores RGB em veículos aéreos não tripulados (VANTs). A pesquisa foi feita em uma área experimental na Universidade Federal Rural de Pernambuco, Unidade Acadêmica de Serra Talhada, localizada no município de Serra Talhada-PE. Coletou-se as respostas dos índices de vegetação proposto em nível de pixel na planta fixa, Palma Orelha de Elefante Mexicana durante o período de avaliação a partir do qual realizou-se uma correlação com o índice de área do cladódio (IAC). Com os resultados obtidos até então, os índices GLA (Índice de folha verde); EXGR (Intensidade de verde e vermelho) e COM (Índice de vegetação combinado) apresentaram correlações acima de 0,5 com IAC e permitiram uma visualização da variabilidade espacial da palma. Na estimativa de modelos de regressão, testamos os modelos linear e quadrático, com intuito de verificar os índices de vegetação que possuíam uma melhor resposta espectral com IAC. Os resultados da regressão linear não apresentaram ajustes, com coeficiente de determinação (r²) na ordem 0,3 e P-valor entre 0,13 a 0,15 para todos os modelos. Dessa forma, não se adequa ao nível de 5% desejado e aceita-se hipótese nula da correlação na regressão linear. Por sua vez, considerando um modelo quadrático, há um ajuste para os índices EXGR e COM, com coeficientes de determinação de 0,74 e p-valor de 0,03, dentro do nível de significância considerado (5%). Portanto, a continuação dos estudos sugere a utilização dos índices EXGR e COM como bons preditores da área do índice do cladódio (IAC) em um modelo de regressão quadrático.

Para participar do debate deste artigo, .


COMENTÁRIOS
Foto do Usuário Gabriela Maria Leme Trivellato 28-06-2023 09:37:05

Quais espécies consomem a planta analisada...? Em que quantidade...? Trabalho muito interessante. Poderia trazer mais detalhes sobre a planta, para quem não é da região...

Foto do Usuário Manasses Macedo De Brito 03-07-2023 08:11:59

trabalho muito bom, é importante essa nova perspectiva de atrelar as novas tecnologias na agropecuária.

Foto do Usuário Guilherme Heverton Lima E Silva 07-07-2023 16:19:23

Muito bom trabalho, ferramenta bastante util no meio rural se usada de forma correta e responsavel. parabéns!!!

Utilizamos cookies essenciais para o funcionamento do site de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.