Informatização da Micoteca do Centro de Pesquisa e Desenvolvimento de Fitossanidade do Instituto Agronômico do Estado de São Paulo

DOCUMENTAÇÃO

Tema: Fitopatologia

Temas Correlatos: Microbiologia;

Acessos neste artigo: 211


Certificado de participação:
Certificado de Martha Maria Passador

Certificado de publicação:
Certificado de Martha Maria Passador

COMPARTILHE ESTE TRABALHO

AUTORIA

Martha Maria Passador , Ligia Regina Lima Gouvea , Margarida Fumiko Ito , Roberta Pierry Uzzo , Barbara Negri , Christina Dudienas

ABSTRACT
A micoteca do Centro de Pesquisa e Desenvolvimento de Fitossanidade do Instituto Agronômico (CPD Fitossanidade), foi iniciada em 1966 e desde então foram adicionados novos isolados, de acordo com os trabalhos e estudos realizados pelos pesquisadores científicos do Centro. Os dados de cada isolado estão organizados em fichas, com informações de localização dos materiais, armazenados em caixas numeradas, pelo método de Castellani (água destilada esterilizada). Sendo uma coleção iniciada há mais de 50 anos, é ideal realizar a sua informatização e conferência dos isolados e seus estados de conservação.  O presente trabalho teve como objetivo a informatização dos dados que constam nas fichas, e também conferir as caixas e verificar a quantidade disponível de cada isolado. Esse trabalho foi iniciado no mês de outubro de 2022 e seguirá até a sua conclusão. Até o momento, o levantamento permitiu conhecer quais são as espécies preservadas e quais os seus respectivos hospedeiros, bem como elaborar estratégias para seguir com a reestruturação da coleção e estabelecimento de experimentos relacionados à manutenção da viabilidade e patogenicidade dos isolados. 

Para participar do debate deste artigo, .


COMENTÁRIOS

Me enche de alegria ver que o quanto os pesquisadores deste país trabalham em prol de manter suas pesquisas com recursos mínimos. E embora pareça errado fazer um resumo sobre esse processo na verdade se torna prova documental de seus esforços em prol da ciência brasileira. Desejo muito sucesso e que não vejamos o IAC , IAPAR e Embrapa se tornarem um museu nacional coberto de cinzas e escombros. Permaneçam com seu ótimo trabalho. Parabéns.

Utilizamos cookies essenciais para o funcionamento do site de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.