Influência dos compostos majoritários do óleo essencial de melaleuca, na repelência do gorgulho

DOCUMENTAÇÃO

Tema: Entomologia

Temas Correlatos: Agricultura;

Acessos neste artigo: 230


Certificado de Publicação:
Não disponível
Certificado de Participação:
Não disponível

COMPARTILHE ESTE TRABALHO

AUTORIA

Andrey Martinez Rebelo , Marcelo Mendes De Haro

ABSTRACT
O Brasil se consolidado como expoente agrícola. No entanto, o ataque de insetos em grãos armazenados, são responsáveis grade prejuízo. De maneira geral, o controle de insetos é realizado com produtos sintéticos cujo desenvolvimento não previu o uso contínuo/irracional e que causam muitos problemas. A Melaleuca alternifolia, possui ação bactericida e fungicida, sendo o tepinen-4-ol seu ativo mais biocida incluindo vírus. Seu óleo a 0,5% tem sido empregado na purificação e água e ambientes.  Baseado na bioatividade, estudamos o efeito repelente de seu óleo essencial e seus compostos majoritários a insetos, para o uso em ambientes agrícolas.  Como modelo utilizamos indivíduos da espécie Sitophilus zeamais. Testes de repelência foram realizados em arenas em “X”, compostas por uma câmara central ligada a outras quatro. Os insetos eram liberados na câmara central. Cada câmara foi preenchida com arroz. Duas receberam papel filtro embebido em 0,1 mL de solução aquosa de Twenn 80 a 1% contendo 1% de óleo essencial emulsionado. Nas outras duas, foram inseridos papéis filtro embebidos com Twenn 80 a 1%, em água. Para determinar a influencia dos compostos majoritários do óleo essencial, foram feitos ensaios com 0,47% de terpinen-4-ol ou 0,18% de gama-terpineno, concentrações correspondentes às do óleo empregado no estudo. Foi calculado o índice de repelência espacial onde resultados iguais a 0 indicam ausência de resposta, variando de -1 a 0 que o inseto foi atraído pelo tratamento e variando de 1 a 0 repelência pelo tratamento. A repelência foi analisada pelo o teste de frequência Qui-Quadrado (?²) ao nível de 5% de probabilidade. O óleo essencial de M. alternifolia repeliu os adultos de S. zeamais nos bioensaios. A frequência de insetos presentes nas câmaras contendo o óleo, foi de 39,51%, 60,08% apresentaram preferência pelo tratamento contendo apenas o controle e 0,41% não apresentaram escolha. No teste com terpinen-4-ol, 47,11% procurou as câmeras com este ativo, 52,89% optaram pelo controle. No teste empregando gama-terpineno, 55,94% optou pela câmara com ativo, 45,80% pelo controle e 1,26% não apresentaram escolha. O óleo essencial repeliu os insetos, com coeficiente de 0,20. Com terpinen-4-ol  houve repelência com coeficiente de 0,05. No caso do gama-terpineno, o índice de repelência espacial de -0,06 demonstra não somar influencia na ação repelente do óleo essencial de melaleuca. O uso deste óleo essencial tem potencial como repelente. O terpinen-4-ol, é um dos compostos responsáveis pela ação repelente. Estudos posteriores para determinar o sinergismo com outros compostos e testes em campo, devem ser executados, visando o manejo sustentável da produção e armazenamento agrícola.

Para participar do debate deste artigo, .


COMENTÁRIOS
Foto do Usuário Alessandro Borini Lone 14-06-2023 14:26:17

Gostaria de parabenizar os autores pelo excelente trabalho na repelência dessa importante praga de grãos armazenados! Ressalto a importância na continuidade desse trabalho para o desenvolvimento de um produto comercial que possa ser empregado em armazéns. Como sugestão, gostaria de recomendar o teste com óleos essenciais de outras espécies de Melaleuca, como a Melaleuca quinquenervia.

Parabéns pelo trabalho! O uso de óleos essenciais apresenta-se como um alternativa potencialmente viável e aparentemente mais segura que os inseticidas sintéticos. Seria interessante saber se há alguma alteração perceptível nas características organolépticas dos produtos armazenados, em caso de volatilização dos óleos essenciais.

Utilizamos cookies essenciais para o funcionamento do site de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.