artigos
Convibra Conference - RELATO DE EXPERIÊNCIA: ASSISTÊNCIA MATERNO-INFANTIL EM UMA MATERNIDADE EM GANA
RELATO DE EXPERIÊNCIA: ASSISTÊNCIA MATERNO-INFANTIL EM UMA MATERNIDADE EM GANA

DOCUMENTAÇÃO

Tema: Gestão de serviços de saúde

Temas Correlatos: Educação, formação e treinamento em saúde;

Acessos neste artigo: 8


Certificado de Publicação:
Não disponível
Certificado de Participação:
Não disponível

COMPARTILHE ESTE TRABALHO

AUTORIA

Raquel Ramos Schettino , Kahena Giullia De Deus Lopes , Érika Marina Rabelo , Claudirene Milagres Araújo , Leila Fátima Santos , Shirley Pereira De Almeida , Sumaya Giarola Cecilio , Valquiria Fernandes Marques

ABSTRACT
Introdução: A taxa de mortalidade infantil é um indicador internacional que retrata o estágio de desenvolvimento econômico/social de um país ou região, pois possui relação direta com características socioeconômicas e sensíveis às suas variações (Rede Interagencial de Informações para a Saúde, 2002; França & Lansky 2016). Segundo a OMS em 2019 os dados de mortalidade infantil na África é 8 vezes maiores do que no continente europeu. Objetivo e metodologia: Relatar a experiência de uma acadêmica de enfermagem durante o intercâmbio como voluntária no setor de maternidade localizado em Gana, no continente africano. Método: Iniciou-se em janeiro/2020 um estágio observacional na cidade de Kumasi onde foi realizado um diário de campo para observações quanto a experiência vivida no país. Alguns dados foram coletados através de questionamentos com médicos e enfermeiros atuantes na maternidade. Resultado e Discussão: Na maternidade observou-se precariedade do local, com ausência de muitos recursos e equipamentos. Na sala havia 2 macas para parto e um berço de calor irradiante. O parto é horizontalizado, estimulando-se contato pele a pele e administração de ocitocina intramuscular. Não foi observado massagem uterina e verificação da placenta. O HIV (vírus da imunodeficiência humana) é predominante na população. A faltas de recursos desde o pré-natal podem agravar os casos de eclâmpsia o que é muito elevado no hospital assim como o aborto segundo enfermeiros. Apos o parto, as mães e seus recém-nascidos são colocados no chão em cima de plásticos devido a falta de espaço e macas, sendo fator também para alta mortalidade no país. Conclusão: Foi possível perceber como a falta de recursos pode influenciar na qualidade da assistência, visto que um pré-natal bem realizado pode identificar alterações e prevenir complicações. Além disso, nas complicações durante o pré-parto e parto é essencial que tenham profissionais capacitados para identificar e atender tais demandas, pois mesmo com a falta de recursos, existem medidas simples que podem ser utilizadas como prevenção e tratamento. É necessário capacitar os profissionais que atuam nas maternidades para prevenir complicações com medidas simples, como: massagem uterina pós-parto, verificação de placenta e verticalização do parto. A promoção em saúde se faz essencial para prevenir e reduzir danos, empoderando a população sobre suas condições de saúde-doença.

Para participar do debate deste artigo, .


COMENTÁRIOS

Utilizamos cookies essenciais para o funcionamento do site de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.