artigos
Convibra Conference - “CADA UM SABE A DOR E A DELÍCIA DE SER O QUE É” - VIVÊNCIAS DE JOVENS GAYS NA CONTABILIDADE BRASILEIRA
“CADA UM SABE A DOR E A DELÍCIA DE SER O QUE É” - VIVÊNCIAS DE JOVENS GAYS NA CONTABILIDADE BRASILEIRA

DOCUMENTAÇÃO

Tema: Contabilidade

Temas Correlatos: Contabilidade;

Acessos neste artigo: 14


Certificado de Publicação:
Não disponível
Certificado de Participação:
Não disponível

COMPARTILHE ESTE TRABALHO

AUTORIA

Carlos Adriano Santos Gomes Gordiano , Iago França Lopes , Edson Ferreira De Araújo

ABSTRACT
A contabilidade é um campo historicamente masculino, dominada por homens brancos e por uma cultura patriarcal, tradicional, conservadora e heteronormativa, porém, ela vem sendo transformada pela mesma dinâmica que se modifica a sociedade contemporânea: o despertar de grupos não hegemônico sobre os espaços que precisam ocupar. Nessa perspectiva, este estudo tem por objetivo analisar as dificuldades e satisfações em existir enquanto homem gay na área contábil. Para tal, pesquisa exploratório de cunho qualitativo com uso de entrevista semiestruturada. A coleta foi realizada durante o mês de setembro de 2021 com quatro estudantes concludentes ou profissionais jovens recém-formados todos com idades que variavam entre 21 e 30 anos, oriundos de quatro estados brasileiros diferentes. A análise das narrativas foi realizada conforme convergência percebida entre os participantes e se interseccionou esses diálogos com a literatura pertinente para a construção de evidenciações. Os resultados ilustram que três dos entrevistados se identifica como gay e um como demissexual. Os entrevistados indicaram uma visão de que a contabilidade não é um lugar aberto a diversidade por sua característica conservadora, tradicional. Apresenta-se também percepções antagônicas, quanto ao fato do ambiente acadêmico ser composto por opressão, violência e sofrimento. Na hierarquia da dor e da opressão, homens gays que performam de modo feminino e mulheres lésbicas que performam de modo masculino estão no topo das violências. Contribui-se com a literatura de diversidade e inclusão a partir do questionamento a respeito da perpetuação do sistema cisheteronormativa que tem edificado a contabilidade e suas instanciações. 

Para participar do debate deste artigo, .


COMENTÁRIOS

Utilizamos cookies essenciais para o funcionamento do site de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.