artigos
Convibra Conference - Palavras que não vieram
Palavras que não vieram

DOCUMENTAÇÃO

Tema: Corpo, dor, silêncio

Acessos neste artigo: 12


Certificado de Publicação:
Não disponível
Certificado de Participação:
Não disponível

COMPARTILHE ESTE TRABALHO

AUTORIA

Clarissa De Toledo Temer Lulia

ABSTRACT
O presente trabalho é apresentação e discussão do caso de um menino de três anos e dez meses que foi diagnosticado com transtorno do espectro autista. Quando este estava com um ano e dez meses, o pai sofreu um acidente de carro que o deixou acamado, sem movimentações, perdendo toda a sua capacidade cognitiva e de comunicação de forma irreversível em função de grave traumatismo craniano. Na época, a família não conseguiu contar ao menino ocorrido que ficou durante um período significativo de tempo sem ouvir palavras sobre a ausência do pai. E ao revê-lo, encontrou um pai que não podia mais falar. 
A história de vida da mãe revela uma infância de maus tratos graves provocados pelo pai que cuidava das quatro filhas para que a mãe pudesse trabalhar. Tido como incapaz porque ''era louco''- como a mãe costuma ouvir sobre o pai quando menina- sofria de graves crises convulsivas e de ataques de ira e violência.
O que pode ser pensado como repetição, a mãe relata que até o acidente, era o pai de seu filho quem sempre cuidava do menino pois ela mesma ''estava sempre trabalhando''. Após o evento, é a avó materna quem passa a se responsabilizar integralmente pela criança que é tratado por esta como um bebê que não pode ouvir não nem comer alimentos que não sejam pastosos (sic), o que certamente não contribui para o seu crescimento. Para a mãe da criança, a avó vê no neto os quatro bebês que teve e de quem não pode cuidar.
Recentemente, quando alguém alerta a mãe sobre os sintomas do filho ela diz se dar conta que depois da tragédia não pode cuidar dele, mas só do marido. Passa a dedicar mais tempo e atenção ao menino e o traz para análise.
Quais os efeitos da perda e do silêncio sobre ela na constituição psíquica desta criança? A análise poderá ajudá-lo a produzir palavras? Entende-se que estas são as questões norteadoras deste trabalho analítico que fazem pensar em temas centrais da Psicanálise como identificação e trauma. 
Pretende-se com a realização desta apresentação a possibilidade de reflexão e articulação com subsídios teóricos e, sobretudo, a interlocução com colegas sobre este caso que tem impactado e provocado a analista.

Para participar do debate deste artigo, .


COMENTÁRIOS

Utilizamos cookies essenciais para o funcionamento do site de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.