artigos
Convibra Conference - Adsorção do Corante Catiônico Azul de Metileno Aplicando Bioadsorvente Produzido a Partir da Casca da Jabuticaba (Plinia Cauliflora)
Adsorção do Corante Catiônico Azul de Metileno Aplicando Bioadsorvente Produzido a Partir da Casca da Jabuticaba (Plinia Cauliflora)

DOCUMENTAÇÃO

Tema: Sustentabilidade ambiental

Temas Correlatos: Sustentabilidade ambiental;

Acessos neste artigo: 7


Certificado de Publicação:
Não disponível
Certificado de Participação:
Não disponível

COMPARTILHE ESTE TRABALHO

AUTORIA

Luana Vaz Tholozan , Natália Nara Janner , Alaor Valério Filho , Gabriela Silveira Da Rosa

ABSTRACT
A jabuticaba (Plinia cauliflora) é uma fruta brasileira muito utilizada na indústria de alimentos. Seu processamento gera elevados volumes de resíduos, compostos basicamente pela casca da jabuticaba. A casca pode ser reaproveitada, pois possui em sua composição compostos bioativos que apresentam potencial para serem utilizados como aditivos naturais em diferentes setores. Portanto, o objetivo desse estudo foi elaborar adsorventes a partir do resíduo sólido da extração dos compostos ativos presentes na casca jabuticaba para a remoção de azul de metileno (AM) em meio aquoso. Foram utilizados três adsorventes: biomassa sem ativação (CJ), biomassa ativada com NaOH (CJB) e biomassa ativada com H3PO4 (CJA).  Os ensaios de adsorção de azul de metileno foram realizados em batelada. Os ensaios de cinética foram realizados com dosagem de adsorvente de 0,5 g L-1 e solução de AM com concentração fixa (70 mg L-1) e pH 7 com intervalos de tempo de 2-120 min. Os estudos de equilíbrio foram conduzidos com tempo fixo, definido pela cinética, e concentração da solução de AM variando de 30-700 mg L-1. Os dados de cinética indicaram que o equilíbrio foi atingido em 60 min para CJ e CJA e 30 min para CJB. Os valores de capacidade máxima de adsorção obtidos para CJ, CJB e CJA foram de 387,36, 302,05 e 134,95 mg g-1, respectivamente. Os resultados desse estudo indicam que o uso do resíduo da extração de compostos bioativos da casca da jaboticaba como bioadsorvente é uma alternativa promissora para reutilização dessa biomassa.

Para participar do debate deste artigo, .


COMENTÁRIOS

Utilizamos cookies essenciais para o funcionamento do site de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.