artigos
Convibra Conference - CONSERVAÇÃO DE PÊSSEGO (CV. CHIMARRITA) MINIMAMENTE PROCESSADO ATRAVÉS DA RADIAÇÃO GAMA
CONSERVAÇÃO DE PÊSSEGO (CV. CHIMARRITA) MINIMAMENTE PROCESSADO ATRAVÉS DA RADIAÇÃO GAMA

DOCUMENTAÇÃO

Tema: Tecnologia de Alimentos

Temas Correlatos: Agricultura;

Acessos neste artigo: 1


Certificado de Publicação:
Não disponível
Certificado de Participação:
Não disponível

COMPARTILHE ESTE TRABALHO

AUTORIA

Marcia Nalesso Costa Harder , Paula Bergamin Arthur , Larissa Nalesso Costa Harder , Rodrigo Sebastião Rossi Leandro , Valter Arthur

ABSTRACT
O objetivo deste trabalho foi avaliar o efeito de diferentes doses de radiação gama sobre pêssego (Plunus persica cv. Chimarrita) minimamente processado, visando o aumento de vida útil do fruto. Os pêssegos foram adquiridos no Ceasa de Campinas/SP e levados para o laboratório de Irradiação de Alimentos do CENA/USP, onde foram lavados em água corrente, descascados e cortados em quatro pedaços. Os pedaços de pêssego foram mergulhados em solução de hipoclorito de sódio 15 mL/L por 4 minutos e secos em um escorredor plástico. Em seguida foram acondicionadas em recipientes plásticos (polipropileno). Posteriormente, foram irradiados em uma fonte de Cobalto-60, tipo Gammacell – 220 (taxa de dose 0,566 kGy/hora) com as doses de: 0 (controle), 1,0 e 2,0 kGy e armazenados em temperatura de 8ºC. Foram realizadas as análises de: cor (fatores L, a e b) e físico químico. O delineamento experimental utilizado foi inteiramente ao acaso com 3 repetições para cada tratamento. Pelos resultados obtidos concluiu-se que a dose de 1,0 kGy pode ser indicada para a conservação de pêssego minimamente processado.

Para participar do debate deste artigo, .


COMENTÁRIOS

Utilizamos cookies essenciais para o funcionamento do site de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.