artigos
Convibra Conference - CLASSIFICAÇÕES CLIMÁTICAS DE HOLDRIDGE (1967) EM CENÁRIOS DE MUDANÇAS CLIMÁTICAS PARA A REGIÃO CENTRO OESTE DO BRASIL
CLASSIFICAÇÕES CLIMÁTICAS DE HOLDRIDGE (1967) EM CENÁRIOS DE MUDANÇAS CLIMÁTICAS PARA A REGIÃO CENTRO OESTE DO BRASIL

DOCUMENTAÇÃO

Tema: Agrometeorologia

Acessos neste artigo: 6


Certificado de Publicação:
Não disponível
Certificado de Participação:
Não disponível

COMPARTILHE ESTE TRABALHO

AUTORIA

Rafael Fausto De Lima , Lucas Eduardo De Oliveira Aparecido , Guilherme Botega Torsoni , João Antonio Lorençone , Alisson Gaspar Chiquitto

ABSTRACT
A região Centro-Oeste é a segunda maior em extensão territorial no Brasil com grande destaque para a produção agropecuária, setor mais influenciado pelas condições climáticas. Uma forma de captar a variação do clima é por meio dos sistemas de classificações climáticas (SCC). O objetivo deste trabalho é classificar o clima da região Centro-Oeste do Brasil nos diversos cenários de mudanças climáticas do IPCC através do sistema de Holdridge (1967). Foi utilizada uma série histórica de 30 anos (1989-2019) de dados climáticos de temperatura média do ar (°C) e precipitação pluvial (mm) para a região Centro-Oeste do Brasil, obtidos através da plataforma National Aeronautics and Space Administration/Prediction of World Wide Energy Resources – (NASA/POWER). A evapotranspiração potencial (ETP) foi estimada pelo método de Camargo, o balanço hídrico climatológico (BHC) foi calculado pelo método de Thornthwaite e Mather (1955), utilizando capacidade de armazenamento de água no solo de 100 mm. Com os extratos do BHC, e as combinações de precipitação anual, biotemperatura média anual e relação da evapotranspiração, delimitou-se as zonas de vidas para o sistema de Holdridge (1967). A classificação de Holdridge (1967) para o Centro-Oeste apresentou cinco zonas de vidas, com predomínio da tropical floresta úmida basal com ocorrência em 70%. As variações nos valores de precipitação proporcionaram o predomínio das zonas de vidas tipo tropical floresta seca basal e tropical floresta seca premontano para a redução de 30% na precipitação e tropical floresta úmida basal e tropical floresta úmida premontano para o acréscimo de 30% na precipitação.

Para participar do debate deste artigo, .


COMENTÁRIOS

Utilizamos cookies essenciais para o funcionamento do site de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.