artigos
Convibra Conference - MEDICALIZAÇÃO ESCOLAR: QUAL O LUGAR OCUPADO PELA CRIANÇA EM FASE DE ESCOLARIZAÇÃO?
MEDICALIZAÇÃO ESCOLAR: QUAL O LUGAR OCUPADO PELA CRIANÇA EM FASE DE ESCOLARIZAÇÃO?

DOCUMENTAÇÃO

Tema: Mal-estar contemporâneo e impasses na educação

Acessos neste artigo: 88


Certificado de Publicação:
Não disponível
Certificado de Participação:
Não disponível

COMPARTILHE ESTE TRABALHO

AUTORIA

Débora Thyara Ferreira , Carla Mercês Da Rocha Jatobá Ferreira - Universidade Federal De Ouro Preto (Ufop)

ABSTRACT
O presente trabalho trata-se de pesquisade mestrado em andamento realizado no âmbito do Programa de Pós-Graduação em Educação na Universidade Federal de Ouro Preto linha de pesquisaDesigualdades, Diversidades, Diferenças e Práticas Educativas Inclusivas - (DsPEI),tendo como intuito investigar a crescente demanda pela medicalização no que diz respeito as crianças em idade escolar.
O trabalho proposto tem como intuito analisar criticamente a crescente demanda pela medicalização de crianças em idade escolar, buscando investigar a partir da análise de teses e dissertações sobre a temática da medicalização na educação, qual o lugar ocupado pela criança em fase de escolarização na contemporaneidade.
Está investigação justifica-se devido ao aumento nos casos de crianças diagnosticadas com algum transtorno e medicadas. Sabemos que ensinar e aprender são um complexo processo que envolve vários fatores, sendo o principal deles a relação professor e aluno. Partindo do pressuposto de que cada sujeito é único, singular e que se constitui a partir da relação com o outro (pai, mãe, professor, entre outros) cada aluno terá uma relação diferente e particular com o saber. 
Desta forma, a pesquisa nos leva a questionar se a medicalização no ambiente escolar não tampona as possibilidades do ato educativo, haja vista a grande aceitação do saber médico pelos profissionais da educação como um dispositivo capaz de resolver as lacunas que aparecem a partir das relações entre sujeitos no processo de ensino x aprendizado e como método de solução para todos indistintamente.

Para participar do debate deste artigo, .


COMENTÁRIOS

Utilizamos cookies essenciais para o funcionamento do site de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.