artigos
Convibra Conference - A relação transferencial no ensino remoto
A relação transferencial no ensino remoto

DOCUMENTAÇÃO

Tema: Mal-estar contemporâneo e impasses na educação

Temas Correlatos: Mal-estar contemporâneo e impasses na educação;

Acessos neste artigo: 12


Certificado de Publicação:
Não disponível
Certificado de Participação:
Não disponível

COMPARTILHE ESTE TRABALHO

AUTORIA

Victória Giacomin Reali

ABSTRACT
O advento da pandemia de Covid-19 alterou de maneira drástica rotinas e contatos sociais. Ambientes de interações foram realocados para o espaço virtual, gerando mudanças nos modos de se relacionar, principalmente ao pensarmos no ambiente escolar. Nesse contexto, com o fechamento das escolas, o contato entre professores e alunos acabou tornando-se restrito e limitado.

Ao analisar tal problemática, um dos fenômenos que ganha notoriedade é o da relação transferencial, que apesar de designar uma característica primordial para o tratamento analítico, também se faz presente nos mais diversos tipos de interação, incluindo as interações entre professores e alunos.

Nesta relação pedagógica, a transferência se instala por meio de um intercâmbio entre inconscientes: o inconsciente do professor e o inconsciente do aluno. Isso faz com que o aluno se volte para a figura do professor e o reconheça como aquele que sabe como ensiná-lo (DOS SANTOS, 2009). Dessa forma, o conceito pode ser mobilizado como um dos pontos de partida para o processo de ensino aprendizagem.

Atualmente, as transmissões marcadas pela ausência dos corpos ainda contam na maioria das vezes com câmeras e microfones desligados, envolvendo a perda de todo colorido pulsional que perpassa o encontro “olho a olho”. Capturados e imobilizados pela tela bidimensional, os professores acabam por vivenciar uma sensação de desamparo por não saber se estão sendo escutados ou vistos (DE LIMA et al., 2021).

Essa pesquisa, portanto, vem com o intuito de questionar como é possível desenvolver o processo transferencial no cenário em que estamos inseridos. É importante indagar por que vias se passa a transferência? Será mesmo necessária uma presença física ou trata-se de uma relação com o saber que, esta sim, sempre envolve uma dimensão afetiva impossível de ser mensurada apenas pelo conteúdo intelectual? Pretende-se compreender como essa alteração impacta o professor e o aluno durante o período de ensino remoto emergencial

Para participar do debate deste artigo, .


COMENTÁRIOS

Utilizamos cookies essenciais para o funcionamento do site de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.