artigos
Convibra Conference - Recursos do teatro como dispositivo na metodologia da Conversação com jovens que apresentam impasses com a escola
Recursos do teatro como dispositivo na metodologia da Conversação com jovens que apresentam impasses com a escola

DOCUMENTAÇÃO

Tema: Mal-estar contemporâneo e impasses na educação

Temas Correlatos: Juventude e políticas públicas;

Acessos neste artigo: 73


Certificado de Publicação:
Não disponível
Certificado de Participação:
Não disponível

COMPARTILHE ESTE TRABALHO

AUTORIA

Bárbara Oliveira Batista , Libéria Neves

ABSTRACT
 O presente trabalho refere-se aos resultados parciais da pesquisa desenvolvida junto ao Programa ''Brota: Juventude, Educação e Cultura'', uma parceria entre a UFMG, o Centro de Referência da Juventude (MG) e a Secretaria Municipal de Educação de BH. O público alvo são alunos cursando os anos finais do Ensino Fundamental, em escolas municipais, localizadas em região de vulnerabilidades.
Trata-se de uma pesquisa-intervenção de orientação psicanalítica, que se realiza por meio de uma Oficina, onde são inseridos recursos do                                                                                                               Teatro na metodologia da Conversação. A Oficina, denominada ''Jogos Teatrais e Conversações Cênicas'', convida os jovens à expressão teatral daquilo que estes sujeitos não conseguem organizar pela via da palavra endereçada. Parte-se da queixa da escola, em relação aos jovens, compreendida a partir do conceito psicanalítico de sintoma e tem como objetivo aprender com estes jovens, os quais romperam parcialmente o laço com a escola. A Oficina busca oferecer recursos simbólicos que permitam a esses sujeitos dizerem sobre seu sintoma relacionado à escola, bem como proporcionar a vivência estética, criativa e desafiadora inerentes aos Jogos Teatrais. Os jogos provocam a coletividade, a concentração e a escuta; o reconhecimento e apropriação do corpo, que ocupa o espaço denunciando as relações já construídas, cristalizadas, cheias de bloqueios e sensibilidade; e a criatividade provocada sobretudo pelas propostas de improvisação que, não raro, culminam em partituras ou cenas que abordam o universo adolescente na relação com o território, com a sexualidade e com o saber. A vivência da linguagem teatral promoveu o trabalho essencialmente coletivo, a partir do qual cada um acabou por elaborar recursos para o enfrentamento de suas questões reais e subjetivas, configurando uma experiência na interface das contribuições da psicanálise e da arte à educação.

Para participar do debate deste artigo, .


COMENTÁRIOS

Utilizamos cookies essenciais para o funcionamento do site de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.