artigos
Convibra Conference - Formação Inicial no Contexto Inclusivo: uma experiência de mediadores de alunos com deficiência
Formação Inicial no Contexto Inclusivo: uma experiência de mediadores de alunos com deficiência

DOCUMENTAÇÃO

Tema: Formação e trabalho de profissionais da infância

Temas Correlatos: Educação especial e educação inclusiva;

Acessos neste artigo: 67


Certificado de Publicação:
Não disponível
Certificado de Participação:
Não disponível

COMPARTILHE ESTE TRABALHO

AUTORIA

Felícia Maria Pereira Dos Santos , Mônica Rahme

ABSTRACT
Esse trabalho se refere aos resultados de uma pesquisa de mestrado que investigou uma experiência de formação inicial na qual estudantes de graduação atuavam como mediadores de alunos com deficiência em uma escola regular. O objetivo foi compreender, a partir da noção psicanalítica de saber, a elaboração e mobilização de saberes pelos mediadores e os efeitos para a sua formação profissional. A partir de rodas de conversa e entrevistas individuais, dezessete estudantes de diferentes cursos participaram da pesquisa. A análise dos depoimentos indicou que os graduandos buscam ser mediadores movidos por um desejo de adquirirem conhecimentos variados em torno do contexto escolar e da educação inclusiva. Apontou que a entrada na escola é frustrante, num primeiro momento, pois os graduandos precisam lidar com o não saber presente na experiência. Por outro lado, o discurso universitário opera, pois o sujeito se coloca na posição de nada saber ao mesmo tempo em que reconhece um saber como verdade. A pesquisa indica um movimento dos mediadores de reconhecer, a todo instante, o estudante com deficiência como um semelhante, inserindo-o na organização e na cultura da sala de aula. Além disso, foi possível perceber que estratégias vão sendo criadas, na maioria das vezes, a partir de uma posição própria ao discurso da histérica, buscando o saber no outro; e que a experiência como mediadores abre possibilidades para a constituição de saberes que poderão ter efeitos em sua formação inicial. Há um saber em construção em cada mediador e uma elaboração, nesse sentido, é a de que não há procedimentos prontos, sendo necessário mergulhar na experiência de conhecer a criança para mobilizar saberes que poderão contribuir no enfrentamento das adversidades próprias da escola. As aulas da graduação e a experiência como mediador são vivenciadas de forma desarticulada, mas se mostram importantes na formação, fazendo-os refletir acerca da escolarização das pessoas com deficiência.

Para participar do debate deste artigo, .


COMENTÁRIOS

Utilizamos cookies essenciais para o funcionamento do site de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.