artigos
Convibra Conference - A Lógica da Financeirização em Face da Escolha Racional no Caso Mariana
A Lógica da Financeirização em Face da Escolha Racional no Caso Mariana

DOCUMENTAÇÃO

Tema: Teoria das Organizações

Temas Correlatos: Administração Ambiental;

Acessos neste artigo: 79


Certificado de Publicação:
Não disponível
Certificado de Participação:
Não disponível

COMPARTILHE ESTE TRABALHO

AUTORIA

Diego Da Rosa Dos Santos , Marcelo Mallet Siqueira Campos

ABSTRACT
A financeirização se tornou uma estrutura sistêmica do capitalismo moderno desde o final do século XX. A hierarquia corporativa de investidores fora do ambiente produtivo e sua constante necessidade de receber indicadores positivos dos agentes administrativos afeta diretamente a tomada de decisão dos administradores. Entretanto, a teoria econômica pouco tem se preocupado com as consequências da financeirização para além da firma. Um exemplo disso se encontra nas empresas de mineração, sabidamente alocadas dentro da lógica da financeirização. Desta forma, é necessário compreender se casos como o rompimento da Barragem do Fundão em Mariana (MG), operada pela empresa Samarco, estão relacionados a essa omissão. Portanto, a pergunta que norteia este estudo é: a omissão em desastres ambientais, como visto em Mariana, poderia ser decorrente de decisões deliberadas em benefício de um indicador positivo? Com um delineamento observacional, a investigação buscou analisar de forma crítica os diversos documentos sensíveis ao caso, do ponto de vista interno e externo. Os resultados demonstram que as condutas de gestão de risco da Samarco eram paliativas, e que a instrução do conselho de governança era a restrição dos custos, tendo autorizado a distribuição de lucros e dividendos mesmo sabendo das não conformidades da barragem.

Para participar do debate deste artigo, .


COMENTÁRIOS
Foto do Usuário Isabela Lopes Gomes 29-09-2021 19:05:52

Um assunto interessante, por abordar uma manobra financeira que algumas empresas utilizam para se mostrar para o mercado, mas que na prática, há inúmeras questões de discussão, principalmente quando envolve pareceres destinados a investidores. Na opinião dos autores, quais alternativas poderiam ser utilizadas, porque os agentes de governança não atuam para reduzir e/ou eliminar os conflitos de interesses em grandes corporações, como as mineradoras?

Foto do Usuário Myriam Angélica Dornelas 26-10-2021 18:59:36

Parabéns aos autores pelo trabalho! Também tenho a mesma dúvida da Isabella. Acreditam que uma solução teria sido o conselho de governança da empresa não terem autorizado a distribuição de lucros e dividendos mesmo sabendo das não conformidades da barragem?

Foto do Usuário Moacir Ferreira 03-11-2021 00:30:04

Eu confesso que li o artigo mais por conhecer bem a Indústria da mineração - fui engenheiro por 14 anos na Vale SA - e sai na crise referenciada no estudo, por contenção de despesas. Muito boa a perspectiva de leitura, embora eu creia que um acidente daquela monta não seja algo de fácil leitura. Mas elencá-lo a Teoria da Agencia foi, no meu entendimento, muito oportuno.

Utilizamos cookies essenciais para o funcionamento do site de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.