artigos
Convibra Conference - Avaliação dos resultados do Orçamento Participativo na melhoria da qualidade de vida da população: um estudo de caso no município de Belo Horizonte
Avaliação dos resultados do Orçamento Participativo na melhoria da qualidade de vida da população: um estudo de caso no município de Belo Horizonte

DOCUMENTAÇÃO

Tema: Administração Pública

Temas Correlatos: Administração Pública;

Acessos neste artigo: 85


Certificado de participação:
Certificado de Aline Kárem Santos Carvalho

COMPARTILHE ESTE TRABALHO

AUTORIA

Rafaela Butzke Geloch , Aline Kárem Santos Carvalho , Tiana De Paula Assis , Breno Augusto Diniz Pereira

ABSTRACT
O presente artigo versa sobre a temática do Orçamento Participativo e sua influencia sobre a melhoria na qualidade de vida da população de Belo Horizonte. Por meio de metodologia descritiva de dados, o estudo apresenta a evolução temporal do Índice de Qualidade de Vida Urbana do Município de Belo Horizonte (IQVU – BH) entre os anos 2005 e 2016. No âmbito das plenárias do Orçamento Participativo, é analisado o número de empreendimentos relacionados a qualidade das condições de habitação e infraestrutura que são decididos pela população das nove regionais integrantes do município de Belo Horizonte, sendo observado conjuntamente a evolução do IQVU-BH para as variáveis de habitação e infraestrutura urbana destas regionais. Observa-se que algumas regionais apresentam crescimento no número de decisões ao tempo que não é evidenciado a evolução nos IQVU - BH para Habitação e Infraestrutura. Constatou-se ainda que as regionais que apresentam maior evolução no indicador habitação revelam um retrocesso no indicador infraestrutura urbana.

Para participar do debate deste artigo, .


COMENTÁRIOS
Foto do Usuário Isabella Fonseca Moreira 26-10-2021 19:54:56

Trabalho com excelente escrita, que leva ao claro entendimento do objetivo, da metodologia e também dos resultados. Sugiro apenas uma pequena mudança, referente a palavra país (página 4, segundo parágrafo), pois creio que essa responsabilidade não pode ser assumida pelo país, que em seu sentido literal se refere ao território, mas em seu contexto no artigo, leva ao entendimento de estar se referindo a todas as pessoas que nele habitam, visto que a autonomia para tais mudanças ou decisões não cabe a todos, mas a determinada parcela responsável e com poder para tal mudança. Creio também ser mais abrangente o conceito de qualidade de vida além do que mede o indicador apresentado, e além do que foi apresentado no artigo, porém, ao discorrer sobre o assunto, creio ser aceitável o uso do termo no contexto.

Foto do Usuário Ronielle Medeiros Rocha 27-11-2021 15:04:25

Excelente trabalho, achei bem relevante. De forma geral pode ficar mais claro a relação entre orçamento participativo e melhoria de qualidade de vida.

Utilizamos cookies essenciais para o funcionamento do site de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.