artigos
Convibra Conference - Um novo laço entre psicanálise e educação?
Um novo laço entre psicanálise e educação?

DOCUMENTAÇÃO

Tema: Formação e trabalho de profissionais da infância

Temas Correlatos: Mal-estar contemporâneo e impasses na educação;

Acessos neste artigo: 58


Certificado de Publicação:
Não disponível
Certificado de Participação:
Não disponível

COMPARTILHE ESTE TRABALHO

AUTORIA

Camille Apolinario Gavioli

ABSTRACT
Participar da pesquisa ‘Dispositivo de Intervenção de Crianças com entraves na estruturação psíquica’, que tem como um de seus eixos o trabalho com professores de crianças em situação inclusiva, põe em jogo a questão do laço entre educação e psicanálise.
Em pesquisa anterior, discutimos o laço entre esses 2 campos considerando a persistente abordagem que enfatiza a diferença entre eles em detrimento de sua proximidade. Ênfase sintomática.Pela genealogia, consideramos dois laços: um simbiótico, indicando a confusão inicial entre tratar e educar; e outro feito a partir das fronteiras definidas entre os campos. 
Para este texto, interessa trazer a noção de proximidade entre psicanálise e educação, alguns desenvolvimentos propostos anteriormente e prosseguir. De que modo se servir da proximidade para pensar essa clínica? 
A noção de proximidade mostra-se profícua não apenas pelo que se pode formular desde um estudo genealógico a respeito de como os laços têm sido sobremaneira feitos, mas também por trazer a perspectiva de um trabalho que, partindo disso, considere um novo laço. 
Partindo da dita proximidade, Voltolini  propõe pensar em termos da mínima diferença. Tomando os discursos elaborados por Lacan, Voltolini lembra que apenas um quarto de giro, separa o analista do educador. 
Também os discursos interessam para pensar o dispositivo grupal. Partindo disso, Bastos propõe tomar o grupo de professores como um discurso para analisar o tipo de laço social que se faz, bem como os distintos efeitos produzidos nos sujeitos aí envolvidos. Nessa perspectiva clínica, se destaca a possibilidade do giro, a partir da proximidade entre discursos, ¼.Outro ponto de encontro entre tratar e educar é o impossível, caracterizado anteriormente como miséria comum, mal-estar estrutural, daí inevitável. Ressaltamos a perspectiva inventiva que o impasse frente o impossível introduz 
Indagamos então como articular a noção de proximidade entre psicanálise e educação com a pesquisa atual?  

Para participar do debate deste artigo, .


COMENTÁRIOS

Utilizamos cookies essenciais para o funcionamento do site de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.