artigos
Convibra Conference - O discurso da BNCC entre o transmitir e o aprender: a dialética que virou dilemática
O discurso da BNCC entre o transmitir e o aprender: a dialética que virou dilemática

DOCUMENTAÇÃO

Tema: Mal-estar contemporâneo e impasses na educação

Temas Correlatos: Mal-estar contemporâneo e impasses na educação;

Acessos neste artigo: 88


Certificado de Publicação:
Não disponível
Certificado de Participação:
Não disponível

COMPARTILHE ESTE TRABALHO

AUTORIA

Lia Silva Fonteles Serra , Rinaldo Voltolini

ABSTRACT
O presente estudo discute as transformações do discurso pedagógico que levaram à construção de uma relação dilemática entre transmitir e aprender na contemporaneidade, tornando estes dois elementos, inerentes à dialética educativa, mutuamente excludentes. Essa relação se apresenta como efeito do discurso do capitalista, cujas marcas foram apontadas nesta pesquisa a partir do estudo de caso de uma peça do discurso pedagógico contemporâneo: a Base Nacional Comum Curricular (BNCC) brasileira. Para isso, recorremos à análise categorial de conteúdo, destacando seis categorias a partir do texto analisado, em torno das quais desenvolvemos nossa discussão, demonstrando os caminhos sem saída em que se insere o texto ao deslizar para o discurso do capitalista. Em seguida, apontamos os desdobramentos dessa posição em educação e a consequente exclusão do sujeito da própria cena educativa. Nossa análise foi permeada pelo dispositivo teórico da psicanálise, que nos permitiu pensar a questão dos discursos enquanto posição no laço social e suas implicações para o fenômeno pesquisado. Trata-se, portanto, de uma pesquisa no campo da psicanálise e educação, cujo princípio é o de interferência de um campo no outro, não sendo nosso intuito a negação ou a substituição de afirmações, mas sim a interpelação das verdades trazidas pelo discurso circulante. Nosso estudo apontou que a BNCC traz em seu texto elementos que convergem para a dilemática transmitir-aprender, o que, portanto, marca um discurso que mais aliena que autoriza, que prescinde do sujeito na educação. 

Para participar do debate deste artigo, .


COMENTÁRIOS

Incrível! Acabei de defender meu TCC sobre a bncc, mas não entrei no campo da psicanálise para discutir os elementos textuais dela, fiz a minha pesquisa a partir de Popkwetiz e as discussões sobre o currículo como agente de regulação social, por meio do discurso de escolarização para 'todos'. Seu trabalho me interessou demais!

Foto do Usuário Silvano Messias Dos Santos 22-10-2021 19:57:27

Essa semana eu estava lendo a BNCC e a reforma do Ensino Médio exatamente buscando analisar as marcas do discurso capitalista e neoliberal presentes nesses documentos. Ouso dizer que ambas as políticas estabelecem como foco o desenvolvimento de competências e habilidades, voltadas para servir às leis de mercado, preocupadas, inclusive, em alinhar o sistema educacional às políticas de avaliação externa. Socializo um fragmento do que rascunhei a respeito: “[...] criar um currículo único nacional é reproduzir um projeto econômico global e a escola, nesse modelo, serve aos interesses imperativos do capitalismo internacional, afetando, intencionalmente, o controle do trabalho desenvolvido nas escolas, a perda da autonomia docente, a neutralização da formação crítica e emancipatória dos estudantes, dentre outros efeitos adversos”. Estou com sua tese salva no meu computador para leitura, Lia!

Utilizamos cookies essenciais para o funcionamento do site de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.