artigos
Convibra Conference - Autoridade: obstáculos no ciberespaço
Autoridade: obstáculos no ciberespaço

DOCUMENTAÇÃO

Tema: Mal-estar contemporâneo e impasses na educação

Acessos neste artigo: 85


Certificado de Publicação:
Não disponível
Certificado de Participação:
Não disponível

COMPARTILHE ESTE TRABALHO

AUTORIA

Gian Eligio Soliman Ruschel , Franciele Da Silva Dos Anjos Strohhecker , Sirei Rigodanzo

ABSTRACT
O mundo contemporâneo, nos desafia a pensar os desdobramentos do ciberespaço para a educação. A partir da recuperação da noção de autoridade Hannah Arendt (2016) – conceito em crise exponencial desde a modernidade – buscaremos tensionar os possíveis sentidos que o ciberespaço parece vir “transferindo” para as relações pedagógicas, já que o espraiamento do ciberespaço cria um tempo/espaço de satisfação imediata do desejo, sem normatização (CHARLOT, 2020), contribuindo para o mal-estar contemporâneo na educação.
Para esse trabalho nos inspiramos na hermenêutica filosófica de Hans-Georg Gadamer (2015) como modo de compreensão da tradição, sustentada pelo diálogo vivo entre interlocutores. Trata-se de abrir espaço para a compreensão do já pensado e dito sobre as questões que aqui nos propomos estudar, no esforço de vislumbrar nelas e a partir delas caminhos possíveis e plausíveis para o desafio contemporâneo da autoridade. 
Disso derivam as dificuldades “transportadas” ao desenvolvimento dos processos de aprendizagem, sobretudo a partir do comprometimento da relação pedagógica – da dificuldade em estabelecê-la dado o núcleo dessa relação que parece subsumir-se no ciberespaço. Concebemos aqui, como núcleo dessa relação, o desejo manifesto pelo professor em apresentar o mundo às novas gerações, para que dele possam fazer parte, renovando-o, desejo expresso pela autoridade de quem veio antes.
Questionamos se nesse tempo, quase soberanamente tomado/destinado ao ciberespaço, sobra tempo para que o interesse pelo mundo humano comum seja criado, visto que a autoridade, a tradição e a conservação, parecem abolidas das relações pedagógicas. À primeira vista nos parece haver no ciberespaço certa dificuldade de criar esse tipo de interesse, bem como de estabelecer condições para a autoridade numa perspectiva ética – de se comprometer com o alargamento dos sentidos e existências dos sujeitos, possibilitando com que se engajem em projetos que vão além da sua individualidade. 

Para participar do debate deste artigo, .


COMENTÁRIOS
Foto do Usuário Silvano Messias Dos Santos 22-10-2021 19:09:42

Interessante abordagem! Dentre outras coisas, fiquei pensando nos desafios enfrentados pelos professores nesse período de pandemia, com aulas virtuais, em relação à autoridade e tentativas de estabelecer relações pedagógicas. Me deparei com muitas queixas de professores “perdidos” e angustiados mediante o não saber lidar com os espaços tecnológicos. Na era ciber, professores e alunos são desafiados a usar os ciberespaços a serviço da formação, das aprendizagens... e são muitas as possibilidades de ensinar e aprender na cibercultura. Entretanto, há impasses... o texto de vocês toca nessa questão?

Utilizamos cookies essenciais para o funcionamento do site de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.