artigos
Convibra Conference - As influências da urbanização e desigualdades socioeconômicas nas crises sanitárias de 1904 e 2020 no Brasil.
As influências da urbanização e desigualdades socioeconômicas nas crises sanitárias de 1904 e 2020 no Brasil.

DOCUMENTAÇÃO

Tema: Indicadores Sociais de saúde

Acessos neste artigo: 109


Certificado de Publicação:
Não disponível
Certificado de Participação:
Não disponível

COMPARTILHE ESTE TRABALHO

AUTORIA

Paulo De Tássio Costa De Abreu , Simone Santos Souza

ABSTRACT
Este trabalho tem como objetivo discutir sobre a influência do crescimento urbano e desigualdades socioeconômicas no contexto das crises sanitárias de 1904 (Revolta da Vacina) e de 2020 (Covid-19) no Brasil. Trata-se de uma revisão integrativa da literatura, os critérios de inclusão foram artigos publicados a partir de 2020, em português e inglês, disponíveis na íntegra, que tenham intimidade com o objeto da pesquisa. Para a estratégia de busca foi feita a combinação de Descritores em Ciências da Saúde (DeCS) com o uso do operador booleano “AND”. A seleção seguiu as recomendações do Preferred Reporting Items for Systematic reviews and MetaAnalyses (PRISMA). Foram publicados 13 artigos que faziam a comparação histórica entre as crises sanitárias vivenciadas no Brasil em 1904 e em 2020. Esses estudos, em sua maioria (61%), foram produzidos por pesquisadores do Sudeste do país e abordavam a influência dos determinantes socioeconômicos (9 artigos) e do processo de urbanização (6 artigos) no agravamento da cadeia de transmissão dessas doenças. Pode-se concluir após esse estudo, que existe uma similitude desses dois contextos, especialmente no que diz respeito a fragilidade política, econômica, urbana e social do país. As condições de moradia insalubres e precárias, construções sem planejamento urbano, a desigualdade social, a fragilidade econômica do estado, a dificuldade de acesso aos serviços de saúde vivenciados pelos brasileiros nessa última crise nada mais são do que um reflexo das condições passadas. Desse modo, as novas formas de pensar a estrutura das cidades têm ligação com o combate à disseminação de doenças, com o intuito de evitar contágios através do urbanismo, a reorganização do espaço e a utilização de soluções sanitárias. É importante que existam políticas públicas que protejam a população mais vulnerável, visto que a atitudes tomadas em períodos de crise, quando assertivas, podem mudar o rumo da história e promover um futuro mais próspero para a nação.

Para participar do debate deste artigo, .


COMENTÁRIOS
Foto do Usuário Raquel Vicentini Oliveira 18-10-2021 20:49:08

O tema foi muito bem trabalhado, com uma exposição da relação entre as crises muito clara e objetiva, seria interessante que tivessem desenvolvido/submetido um artigo completo sobre esse assunto, visto que é muito interessante. Parabéns pela temática!

Foto do Usuário Evelyne Florido Lobato Cavalcante 24-10-2021 18:41:20

É de extrema importância dar visibilidade ao impacto da crise sanitária atual à população mais vulnerável, onde se exacerbam desigualdades sociais ainda mais visíveis nas cidades, bem como à necessidade de respostas emergenciais, mas também estruturais que atenuem as mazelas sociais.

Foto do Usuário Gabriela Pôrto Marques 25-10-2021 10:00:37

O tema do trabalho é muito relevante para refletirmos sobre as crises sanitária, econômica e civilizatória pelas quais estamos passando. Acredito que a discussão da temática caberia em um artigo completo para que mais aspectos fossem desenvolvidos e trazidos para reflexão.

Em primeiro lugar, parabéns aos autores por abordarem essa temática. Assim como os colegas que me antecederam nos comentários, concordo que esse é um tema de extrema relevância para discussão, haja visto que talvez não tenhamos saído de crises sanitárias desde então, pois as condições existentes em 1904 e 2020. Embora minimizadas ao longo dos anos, ainda se perpetuam tendo por base a desigualdade social. Também estou de acordo com as falas de que este estudo merecia ser um artigo completo pois, embora sejam passadas informações e reflexões importantes, essas pareceram desconexas com algumas narrativas do texto ou vagas de explicação, como, por exemplo, nessa passagem: ''Percebe-se assim que as doenças infecciosas tiveram uma importante influência na urbanização, na construção histórica e na evolução do Brasil, assim como na sua sociedade, e vice e versa''

Foto do Usuário Letícia Perígolo Jorge 25-10-2021 14:32:24

Muito importante essa comparação, que nos relembra a importância de olhar para o passado para entender plenamente o presente... Ao mesmo tempo, é muito triste perceber que tanto tempo se passou, mas que os principais atingidos pelas crises sanitárias (e pelas demais crises) ainda são os mesmos - brasileiros com baixas condições socioeconômicas.

Foto do Usuário Adriana Ferreira Machado 12-11-2021 09:11:58

Excelente temática! Parabéns pela escolha do tema e discussão. Dentro desse tema tenho uma pergunta para os autores: O que nós, como profissionais da saúde e demais áreas, podemos fazer para tentar minimizar essas desigualdades e ajudar as populações mais vulneráveis a lidar com a epidemia atual?

Utilizamos cookies essenciais para o funcionamento do site de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.