artigos
Convibra Conference - Desafios da regionalização do SUS no RS na perspectiva dos gestores da Macrorregião de Saúde Norte
Desafios da regionalização do SUS no RS na perspectiva dos gestores da Macrorregião de Saúde Norte

DOCUMENTAÇÃO

Tema: Gestão de serviços de saúde

Acessos neste artigo: 12


Certificado de Publicação:
Não disponível
Certificado de Participação:
Não disponível

COMPARTILHE ESTE TRABALHO

AUTORIA

Gustavo Henrique Da Silva , Cristian Fabiano Guimarães , Priscila Farfan Barroso , Karen Chisini Coutinho Lütz , Beatriz De Arruda Pereira Galvão , Aline Veiga Dos Santos , André Luis Alves De Quevedo

ABSTRACT
Introdução: O planejamento é um importante mecanismo da gestão em saúde, com impactos significativos no atendimento da população. A regionalização do Sistema Único de Saúde (SUS) no Rio Grande do Sul (RS) envolve o planejamento estratégico para sua execução de forma descentralizada pelos gestores, melhorando o acesso da população às ações e serviços de saúde. Objetivo: Identificar os principais elementos do processo de regionalização a partir das experiências de gestores regionais da Macrorregião de Saúde Norte. Métodos: O estudo faz parte do projeto “Análise dos processos de regionalização, gestão e planejamento para a implementação das Redes de Atenção à Saúde no Rio Grande do Sul”, sob a perspectiva de gestores de saúde de quatro Coordenadorias Regionais de Saúde (CRS): 6ª (Passo Fundo), 11ª (Erechim), 15ª (Palmeira das Missões) e 19ª (Frederico Westphalen). Foram realizadas entrevistas semiestruturadas, posteriormente, transcritas, categorizadas e analisadas, buscando evidenciar os desafios do planejamento em saúde para implementação da regionalização do SUS no estado. Projeto aprovado pelo Comitê de Ética do Instituto de Medicina, Estudos e Desenvolvimento e da Escola de Saúde Pública (39496820.6.0000.5319). Resultados: Entre os principais desafios identificados estão o manejo de sistemas e ferramentas de informação em saúde, dificuldades de comunicação e articulação com demais gestores e com prestadores de serviços, dependência de outros órgãos para tomar decisões, precariedade de recursos físicos e humanos, além das questões políticas particulares de cada território. Conclusão: Conhecer os desafios encontrados por gestores regionais em saúde no processo de regionalização é fundamental para explicitar os entraves enfrentados nas instâncias de pactuação. Com isso, espera-se qualificar a continuidade e a efetividade do processo de regionalização, com o planejamento de ações de saúde baseadas nas necessidades específicas de cada território.

Para participar do debate deste artigo, .


COMENTÁRIOS

Utilizamos cookies essenciais para o funcionamento do site de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.