artigos
Convibra Conference - Câncer de mama no estado do Espírito Santo: Estudo entre os anos de 2014 a 2020
Câncer de mama no estado do Espírito Santo: Estudo entre os anos de 2014 a 2020

DOCUMENTAÇÃO

Tema: Indicadores Sociais de saúde

Temas Correlatos: Saúde da Mulher;

Acessos neste artigo: 116


Certificado de Publicação:
Não disponível
Certificado de Participação:
Não disponível

COMPARTILHE ESTE TRABALHO

AUTORIA

Raquel Vicentini Oliveira , Nathalya Das Candeias Pastore Cunha , Eduarda Calazans Reblin De Oliveira , Juliana Maria Bello Jastrow , Yasmin Neves Soares , Esthefany Pereira Estevam , Italla Maria Pinheiro Bezerra

ABSTRACT
O câncer pode ser definido como alterações no crescimento celular onde há uma desordem de formação que atinge aos órgãos, que se caracteriza por ser um processo longo e e normalmente lento. Caracterizado como problema de saúde pública o câncer de mama é responsável por grande parte das mortes da população feminina não só no Brasil como em todo o mundo. Este estudo objetiva analisar os casos de câncer de mama na população do estado do Espírito Santo em um período de 7 anos. Trata-se de estudo quantitativo realizado através de dados coletados na base de dados do Sistema de Informação do Câncer - SISCAN (colo do útero e mama) disponibilizado pelo Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde (DATASUS). Os resultados obtidos a partir da análise dos dados apontam predominância de casos  na região urbana, principalmente na capital do estado, atingindo principalmente mulheres de idade entre 35 e 54 anos, na mama esquerda. Conclui-se que há a necessidade de melhor compreensão das características epidemiológicas relacionadas as casos para que seja possível uma aplicação eficiente das políticas de atenção à saúde, além do fornecimento de bases para criação de ações em saúde voltadas para prevenção do câncer de mama.

Para participar do debate deste artigo, .


COMENTÁRIOS
Foto do Usuário Josiane Rodrigues 18-10-2021 22:37:18

Assunto muito interessante, com um contexto bem atual e com muito campo a ser explorado. Sugestões: - A tabela 2 é pouco informativa, não ajuda muito na compreensão dos dados; - Poderiam ser feitas algumas análises estatísticas para analisar com mais rigor os dados; Pergunta: Existiram ocorrências de as duas mamas terem sido atingidas? Se sim, como esses dados foram computados e analisados?

Utilizamos cookies essenciais para o funcionamento do site de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.