artigos
Convibra Conference - Arcabouço Tecnológico Para Abertura De Dados Da Pesquisa Em Ciência Do Solo No Brasil
Arcabouço Tecnológico Para Abertura De Dados Da Pesquisa Em Ciência Do Solo No Brasil

DOCUMENTAÇÃO

Tema: Agrotech

Temas Correlatos: Ciências do solo;

Acessos neste artigo: 39


Certificado de Publicação:
Não disponível
Certificado de Participação:
Não disponível

COMPARTILHE ESTE TRABALHO

AUTORIA

Marcos Alexandre Dos Anjos , Alessandro Samuel-Rosa , Matheus Ferreira Ramos

ABSTRACT
O solo ocupa posição central na complexa rede de relações das esferas terrestres. Seu uso sustentável é fundamental para assegurar uma vida saudável e promover o bem-estar de todas as formas de vida na Terra [1]. Essa importância é reconhecida na maioria dos 17 Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS) [2]. Por isso, a Food and Agriculture Organization (FAO) e a International Union of Soil Sciences (IUSS) lançaram a Global Soil Partnership (GSP), com ações junto aos segmentos da sociedade para conscientizar sobre a necessidade de juntar esforços para preservar o solo.
As ações da GSP são organizadas em pilares. O foco do pilar IV é aumentar a quantidade e qualidade dos dados e informações do solo. Para isso, muitos países estão desenvolvendo sistemas de informação de solos que se comunicarão com um sistema global de informação (GLOSIS). O Brasil é referência em dados e informações do solo em regiões tropicais [3], ainda não possui um sistema de informação de solos. Grande parte dos dados produzidos no Brasil é difícil de encontrar e/ou acessar e, portanto, difícil de reutilizar. Quando acessíveis, costumam estar incompletos ou organizados de maneira inapropriada [4]. Além de impedir a replicação das pesquisas, isso resulta na subutilização de recursos públicos, atrasa o avanço do conhecimento sobre o solo e impede o alcance dos ODS.
Diversos esforços institucionais ou individuais tentaram resolver o cenário descrito acima. Contudo, uma solução duradoura para o problema de salvaguardar dados da pesquisa em ciência do solo e promover seu reúso não foi concretizada. Diante disso, em 2016, foi criado o Repositório Brasileiro Livre para Dados Abertos do Solo (FEBR). Seu diferencial foi a adoção de métodos baseados em experiências internacionais, uma política de dados abertos e a seleção de tecnologias de fácil acesso, manutenção e uso. Hoje o FEBR é o maior repositório de dados da pesquisa em ciência do solo do Brasil, com dados de mais de 20 mil locais em todo o país. Por isso, o FEBR precisa estar alinhado aos desenvolvimentos tecnológicos internacionais da área.
O objetivo deste trabalho é definir, a partir de uma profunda revisão bibliográfica e estudo de repositórios nacionais e internacionais de dados da pesquisa, o arcabouço tecnológico necessário para que o FEBR atinja o nível de confiabilidade requerido de repositórios de dados da pesquisa.

Para participar do debate deste artigo, .


COMENTÁRIOS
Foto do Usuário João Guilherme Leal Diniz 16-06-2021 14:58:37

Muito importante o tema abordado. Senti falta do resumo no trabalho e do uso de conteúdos gráficos. Quais as diferenças entre o sistema adotado atualmente no banco nacional e as melhorias que os autores propõem ?