artigos
Convibra Conference - Aplicação de Resíduos Agronômicos de Anadenanthera Macrocarpa (Benth.) Ativados Quimicamente com H3PO4 Para Adsorção do Corante Azul de Metileno
Aplicação de Resíduos Agronômicos de Anadenanthera Macrocarpa (Benth.) Ativados Quimicamente com H3PO4 Para Adsorção do Corante Azul de Metileno

DOCUMENTAÇÃO

Tema: Sustentabilidade ambiental

Acessos neste artigo: 39


Certificado de participação:
Certificado de Tereza Longaray Rodrigues

Certificado de publicação:
Certificado de Tereza Longaray Rodrigues

COMPARTILHE ESTE TRABALHO

AUTORIA

Tereza Longaray Rodrigues , Gabriela Silveira Da Rosa , André Ricardo Felkl De Almeida

ABSTRACT
O Angico-vermelho (Anadenanthera macrocarpa (Benth.) Brenan) consiste em uma planta nativa brasileira que produz uma quantidade elevada de resíduos, os quais apresentam aparência seca, sem aplicação ou valor comercial conhecidos. Diversas pesquisas têm sido realizadas a respeito do emprego de biomassas como adsorventes, os quais têm apresentado bons resultados. O presente estudo teve como objetivo investigar a aplicação de resíduos de Angico-vermelho como adsorvente através de um estudo a respeito da cinética e isotermas de adsorção, e avaliando suas propriedades com e sem ativação química com H3PO4. Os modelos cinéticos de pseudo-primeira ordem e pseudo-segunda ordem foram ajustados aos dados experimentais, sendo o de pseudo-segunda ordem mais adequado para ambos experimentos. As capacidades de adsorção, no ensaio cinético, obtidas experimentalmente foram próximas a 7,45 mg.g-1. Foi possível observar que o modelo de isoterma melhor ajustado aos dados experimentais, para ambos materiais, foi a isoterma de Sips, sendo classificada como do tipo L e subgrupo 2. Os resultados obtidos indicam a possibilidade da impregnação do material com H3PO4 ter promovido uma distribuição de energia menos uniforme dos sítios ativos, bem como a formação de heterocamadas na superfície do material adsorvente. As capacidades máximas de adsorção dos adsorventes sem e com ativação química foram de 17,8 mg.g-1 e 24,7 mg.g-1, respectivamente.

Para participar do debate deste artigo, .


COMENTÁRIOS
Foto do Usuário Nicole Dall'accua Lopes 08-05-2021 19:41:51

Excelente trabalho! Gostaria de saber porque foi utilizado um meio ácido para o desenvolvimento desta pesquisa? E, sugerir que utilize um meio básico para futuras comparações.

Foto do Usuário Pietro Serraglio Figueiredo 14-05-2021 14:12:27

Trabalho muito interessante! Gostaria de saber que material foi utilizado como contaminante para os ensaios de adsorção?

Foto do Usuário Luisa Bataglin Avila 14-05-2021 16:35:47

Acredito que o tema do trabalho é bastante relevante uma vez que demonstra o potencial de utilização de um resíduo, sem valor comercial, para a obtenção de um material adsorvente. Em um cenário em que a poluição por efluentes industriais ainda é um grande problema, a possibilidade de utilização de um biomaterial capaz de minimizar esses impactos ambientais é de suma importância. Assim, diante do exposto no presente trabalho, gostaria de saber se os autores cogitam a possibilidade de realização de uma análise de FTIR ou DRX do material adsorvente obtido? Acredito que tais análises possam auxiliar no entendimento dos diferentes resultados encontrados para os materiais com e sem impregnação com H3PO4.

Foto do Usuário Luana Vaz Tholozan 14-05-2021 18:25:48

Parabéns pelo trabalho! É muito interessante ver a utilização de um resíduo nativo da região do Pampa para desenvolvimento de novos materiais. Minha pergunta: os autores pretendem aplicar o material adsorvente produzido em outros corantes? Sugestão: realizar análise morfológica de área superficial do carvão ativado produzido.

Foto do Usuário íris Nunes Raupp 15-05-2021 02:51:34

Parabéns aos autores pelo trabalho! Gostaria de saber se pretendem avaliar outros métodos de ativação química do material para estudar os efeitos na capacidade de adsorção. A partir desse estudo minha sugestão seria avaliar o desempenho do material em coluna de leito fixo.

Utilizamos cookies essenciais para o funcionamento do site de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.