artigos
Convibra Conference - PRODUÇÃO DO FUNGO Metarhizium anisopliae VIA FERMENTAÇÃO LÍQUIDA
PRODUÇÃO DO FUNGO Metarhizium anisopliae VIA FERMENTAÇÃO LÍQUIDA

DOCUMENTAÇÃO

Tema: Microbiologia

Acessos neste artigo: 50


Certificado de Publicação:
Não disponível
Certificado de Participação:
Não disponível

COMPARTILHE ESTE TRABALHO

AUTORIA

Guilherme Debiazi Beloni , Wagner Arruda De Jesus , Wallace Nascimento Gabriel , Daniela Tiago Da Silva Campos

ABSTRACT
Bioinseticidas a base do fungo Metarhizium anisopliae são utilizados no Brasil em larga escala para o 
controle de pragas em pastagens e no cultivo de cana-de-açucar. O trabalho objetiva encontrar a 
composição do meio de cultura em conjunto com os parâmetros de cultivo que proporcione a maior 
produção de propágulos do fungo Metarhizium anisopliae IBCB 425. Para isso foram avaliados meios 
de cultura compostos de sacarose, farinha de soja, extrato de malte, peptona de caseína e sais minerais.
Os resultados demonstram que os meios de cultura compostos por farinha de soja com relação C/N 10:1
apresentaram maior produção de blastosporos/mL após 3 dias de cultivo, já os meios de cultura 
compostos por peptona de caseína não apresentaram produção de blastosporos. Após 4 dias de cultivo, 
houve redução na quantidade de blastosporos, o que evidencia pico de produção após 3 dias de cultivo.
O estudo demonstrou o potencial do uso da farinha de soja como fonte de nitrogênio na produção de 
blastosporos de Metarhizium anisopliae IBCB 425, bem como a relação carbono e nitrogênio 10:1 que 
se apresentou como a mais compatível para a estirpe utilizada e por fim o tempo de cultivo de 3 dias 
que se mostrou mais adequado.

Para participar do debate deste artigo, .


COMENTÁRIOS
Foto do Usuário Flávia Maria De Mello Bliska 08-05-2021 13:44:36

O estudo de bioinseticidas é extemamente importante. O estudo da produção do Metarhizium anisopliae via fermentação líquida sem dúvida é uma contrinbuição bastante interessante. Para publicação de um trabalho completo, sugiro apresentar no capítulo introdutório o histórico sobre o estudo, produção e distribuição desse fundo no exterior e no Brasil. Creio que seria interessante citar o Dr. Pedro Bastos Cruz, do Instituto Biológico, da Secretaria de Agricultura e Abastecimento de São Paulo, criador do Banco de Microrganismos Entomopatogênicos Oldemar Cardim Abreu (homenagem ao pesquisador que iniciou no IB, no final dos anos 70, estudos de produção e armazenamento do fungo M. anisopliae e de onde provém a cepa IBCB 425 utilizada no estudo). Pergunto, como seria a estrutura de produção do fundo em substrato líquido, ao levar a produção em laboratório para a produção comercial? Quais seriam as diferenças estimadas no custo de produção comercial entre a produção convencional (arroz parbolizado) e no substrato líquido? Seria interessante descrever no artigo as estruturas físicas dos dois tipos de produção.

Foto do Usuário Fabio Luis Ferreira Dias 25-05-2021 00:41:34

Parabens aos autores pelo trabalho. A troca do arroz pela farinha de soja é ecomicamente viavel? O resultado é um produto líquido que pode ser aplicado a campo, e qual a duração ou melhor a validade do produto, pode ser amarzenado por quanto tempo?