artigos
Convibra Conference - MOTIVO DA ESCOLHA DO TIPO DE PARTO DE GESTANTES MULTÍPARAS ASSISTIDAS PELA ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE
MOTIVO DA ESCOLHA DO TIPO DE PARTO DE GESTANTES MULTÍPARAS ASSISTIDAS PELA ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE

DOCUMENTAÇÃO

Tema: Saúde da Mulher

Acessos neste artigo: 25


Certificado de Publicação:
Não disponível
Certificado de Participação:
Não disponível

COMPARTILHE ESTE TRABALHO

AUTORIA

Anne Kelly Paes Alves Feitosa , Renata Jardim , Tainah Da Costa Santos , Marcia Schott

ABSTRACT
Introdução: A escolha do tipo de parto pela gestante pode sofrer influência de diferentes fatores, desde o autoconhecimento, a fatores culturais e até mesmo o acesso à informação. Dessa forma esse estudo justifica-se pela importância de se entender o motivo da preferência de um tipo de parto ao outro, em mulheres multíparas e assim compreender o que influencia as altas taxas de cesariana. Objetivos: Descrever o motivo do tipo de parto de escolha de gestantes multíparas assistidas pela Atenção Primária à Saúde. Metodologia: Trata-se de uma pesquisa com caráter exploratório, abordagem observacional, descritiva e quantitativa
realizada por meio de entrevistas semiestruturadas. A coleta de dados ocorreu de junho a setembro de 2017 e de janeiro a outubro de 2018 nas dependências das Unidades Básicas de Saúde (UBS) do município investigado. Resultados: Participaram da pesquisa 61 gestantes. A maioria das mulheres entrevistadas preferiram o parto vaginal (69%). Os motivos da escolha do tipo de parto vaginal foram: 62% (n=26) recuperação mais rápida em comparação ao parto Cesáreo, 14% (n=6) referiu experiência anterior positiva, 12% (n=5) apenas disse ser melhor, 5% (n=2) que a dor é somente na hora do parto, 2% (n=1) relatou por sempre ter passagem e 2% (n=1) que requer menos cuidados em comparação ao parto cesáreo. Entre os motivos encontrados para a escolha do tipo de parto Cesáreo, 37% (n=7) referiram a dor, 21% (n=4) querer submeter-se a laqueadura, 11% (n=2) relataram sofrimento anterior no parto vaginal, 5% (n=1) medo do parto vaginal, 5% (n=1) por achar que seria melhor tanto para ela quanto para o
bebê, 5% (n=1) devido a não ter passagem, 5% (n=1) disse que todos os partos anteriores foram cesáreo, e 5% (n=1) notificou que era por ter infecção urinária frequente. Discussão: As experiências passadas das gestantes possivelmente serviram de base para suas escolhas, pois, 90% delas escolheram a mesma via de parto que já haviam dado à luz anteriormente. Das mulheres que escolheram o parto cesáreo, 11% citou como um dos motivos sofrimento no parto vaginal anterior. Daquelas que escolheram o parto normal, 14% relataram ser devido experiência anterior positiva no parto vaginal. A satisfação das mulheres com a experiência do parto está intimamente relacionada com a atenção e disponibilidade da equipe assistencial (SCARTON et al. 2015). Deve-se considerar a subjetividade e necessidade de cada mulher bem como a necessidade de se construir uma relação de respeito e confiança (OLIVEIRA; PENNA, 2018). Conclusões: Constatou-se que a maioria das gestantes preferiam a via de parto vaginal, sobretudo aquelas que já haviam passado por este tipo de parto. O motivo mais frequente para a preferência pela cesariana além de sofrimento anterior no parto vaginal, foi o medo da dor do trabalho de parto, e para a preferência pelo parto vaginal foi a melhor recuperação no pós-parto. Palavras-chave: Parto, Cesárea, Parto normal, Autonomia pessoal, Violência.

Para participar do debate deste artigo, .


COMENTÁRIOS
Foto do Usuário Mariana Casarotto 09-02-2021 12:50:35

O trabalho é bem estruturado, com metodologia clara e bom aporte teórico. Os resultados encontrados são discutidos de forma satisfatória, tanto individualmente, tanto quando cruzados (diferentes dados e a possível interferência entre um e outro).

Foto do Usuário Laiz Ferraz Da Silva 09-02-2021 12:50:35

Muito bem claro a apresentação do tema, o tipo da assistência prestada em partos anteriores interfere na escolha da gestante.

Foto do Usuário Sirleide Corrêa Rangel 09-02-2021 12:50:35

Tema bastante relevante tendo em vista a persistência do alto índice de cesarianas no Brasil. Texto muito bem escrito, coeso, claro e objetivo. A metodologia está muito bem delineada. Como sugestão os autores poderiam apresentar em forma de tabelas e gráficos os resultados obtidos. Parabéns aos autores pelo excelente trabalho.

Foto do Usuário Ana Carolina Mendes Coelho Ramos 09-02-2021 12:50:35

Tema muito relevante e bem abordado no trabalho, foi colocado de forma estruturada, com bom referencial teórico e contribuiu mostrando que apesar do medo envolvido no parto vaginal, após a sua realização, a maioria das mulheres opta por essa via em uma segunda gestação. Sendo válido salientar que a escolha da via de parto segue uma indicação obstétrica e não apenas o desejo da mulher, no entanto, uma boa relação entre médico e paciente contribui muito nesse processo. E deixo como pergunta: quais ações podem podem ser desevolvidas para diminuir o medo em relação ao parto vaginal e conquentemente o número de césareas sem indicação obstétrica?

Foto do Usuário Talita Ferreira Gomes 09-02-2021 12:50:35

A experiência vivida pela mulher no parto, pesa muitas vezes mais do que o conhecimento sobre os benefícios do parto vaginal. As gestantes que optaram pelo parto cesáreo, tinham esse conhecimento sobre o parto via vaginal?

Foto do Usuário Alexandre Apolo Silva Coelho 09-02-2021 12:50:35

Tema bastante relevante, principalmente para a saúde materna-infantil. Texto fluído e bem escrito. Sugiro apresentar os resultados em forma de gráficos e/ou tabelas.