artigos
Convibra Conference - TRANSTORNO DE ANSIEDADE GENERALIZADA EM IDOSOS BRASILEIROS NO PERÍODO DE ISOLAMENTO FÍSICO DURANTE A PANDEMIA DO CORONAVÍRUS
TRANSTORNO DE ANSIEDADE GENERALIZADA EM IDOSOS BRASILEIROS NO PERÍODO DE ISOLAMENTO FÍSICO DURANTE A PANDEMIA DO CORONAVÍRUS

DOCUMENTAÇÃO

Tema: Evidências científicas e relatos de experiência sobre Covid-19

Acessos neste artigo: 101


Certificado de participação:
Certificado de Isabella Louíse Morais de Sousa

Certificado de publicação:
Certificado de Isabella Louíse Morais de Sousa

COMPARTILHE ESTE TRABALHO

AUTORIA

Isabella Louíse Morais De Sousa , Fernanda Nogueira Valentin Lucianelli , Ozélia Sousa Santos , Francisco Bruno Teixeira , Érika Fernandes Costa Pellegrino , Adenilson Leão Pereira , Renan Rocha Granato , Rosiane Luz Cavalcante , Dalberto Lucianelli Junior , Giselle Sousa Carmona , Ana Paula Do Vale Viegas , Nathan Henrick Sirqueira Kretli , Rodrigo Silveira Da Silva , Monica Yuri Takito

ABSTRACT
A pandemia de COVID-19 apresenta desfechos severos levando ao óbito com maior frequência na população idosa. Entre as medidas não medicamentosas de prevenir a disseminação da doença, destacou se a adoção de medidas de isolamento e distanciamento social, fatores já estudados que nesta faixa etária tem associação com aumento de risco de doenças cardiovasculares, autoimunes, neuro-cognitivos e de saúde mental. A desconexão social nos idosos por si implica em prejuízo a saúde mental, adicionado ao maior risco de ser contaminado poderia potencializar a frequência e intensidade de sintomas de ansiedade e depressão. Diante disso, ainda pouco se sabe sobre o impacto da pandemia na saúde mental de idosos no Brasil. Assim, esse artigo tem como objetivo avaliar os fatores associados à ansiedade nos idosos durante o isolamento social desencadeado pela atual pandemia de COVID-19. Trata-se de estudo transversal, exploratório e analítico de caráter quantitativo realizado através do levantamento de informações por meio de um formulário online. Para tanto, foi utilizado um questionário estruturado composto por questões de múltipla escolha, abrangendo dados demográficos gerais, opiniões/percepções sobre a pandemia e o Inventário de Ansiedade Geriátrica (GAI). A amostra foi classificada de acordo com o nível de ansiedade em dois grupos: sem ansiedade e ansiosos. Foram realizados testes de qui-quadrado para as variáveis categóricas e teste de correlação de Spearman para variáveis contínuas com nível de significância de 5%. Como resultado, os idosos ansiosos apresentaram a maior proporção de mulheres (p < 0,05), de divorciados e viúvos (p = 0,07) de indivíduos com menor escolaridade (p < 0,05), transtorno mental diagnosticado (p < 0,001), de sujeitos que se sentem mais vulneráveis à doença (p < 0,05) e que declaram ter menor entendimento sobre a pandemia (p < 0,05). Além disso, houve uma correlação significante entre o escore de ansiedade e o medo de infectar-se com COVID-19 (r = 0.3, p < 0.0001). Conclui-se que os idosos que tendem a ser mais ansiosos no período da pandemia são do sexo feminino, com tendência para serem divorciados ou viúvos, não ter escolaridade avançada e possuir diagnóstico prévio de algum transtorno mental. Além disso, a ansiedade está associada ao medo que o idoso tem de infectar-se com a COVID-19. 
Palavras-Chaves: Pandemia, idosos, saúde mental, ansiedade.

Para participar do debate deste artigo, .


COMENTÁRIOS
Foto do Usuário Felipe De Deus Souza 09-02-2021 09:50:35

Após a realização dos estudos e a colheita dos dados, seria de grande valia que fossem analisadas formas de facilitar a permanência do idoso em casa durante períodos de pandemia, no intuito de evitar o crescimento dos casos de transtorno de ansiedade e depressão neste grupo. Pensando nisso, vocês acreditam que esta pesquisa poderá contribuir em quais aspectos? E em quais áreas de atuação? Trabalho magnífico!

Excelente tema, clareza na linguagem textual, metodologia bem definida.

Foto do Usuário Joselice Almeida Góis 09-02-2021 09:50:35

O manuscrito apresenta todos os elementos importantes para a composição de um artigo científico. Tem introdução bem contextualizada, objetivos bem delimitados, metodologia bem apresentada, porém precisa ser melhor escrita. Chamo atenção para a conclusão que não deve reapresentar os resultados e sim trazer quais contribuições deste.

Foto do Usuário Ana Cristina De Araújo Santos 09-02-2021 09:50:35

O tema muito interessante e relevante no momento vivenciado. O idoso na Pandemia COVID 19 foi e continua sendo destaque. Mas o isolamento social pode agravar ou potencializar as crises de ansiedade e depressão que na maioria dos casos já são existentes. Na minha observação faltou somente a contribuição/prevenção no cuidado da saúde mental do idoso em momentos de pandemia. O que poderia ser feito de forma preventiva?

Utilizamos cookies essenciais para o funcionamento do site de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.