artigos
Convibra Conference - ADOÇÃO DA IFRS EM ANGOLA: UM ESTUDO SOBRE O GRAU DE EVIDENCIAÇÃO DE INTRUMENTOS FINANCEIROS (IFRS 7) DOS BANCOS ANGOLANOS
ADOÇÃO DA IFRS EM ANGOLA: UM ESTUDO SOBRE O GRAU DE EVIDENCIAÇÃO DE INTRUMENTOS FINANCEIROS (IFRS 7) DOS BANCOS ANGOLANOS

DOCUMENTAÇÃO

Tema: Contabilidade

Acessos neste artigo: 27


Certificado de Publicação:
Não disponível
Certificado de Participação:
Não disponível

COMPARTILHE ESTE TRABALHO

AUTORIA

Carlos Adriano Santos Gomes Gordiano , Mishack Kavuanda Matafwali Jimba , Alan Santos De Oliveira , Luana Andresa Alves Monteiro Caula

ABSTRACT
A aceitação das normas do Internacional Financial Reporting Standards (IFRS) como bases para a divulgação de informação financeira está cada vez mais aumentando no mundo inteiro, assim sendo o presente estudo tomou como objetivo avaliar o grau de evidenciação dos bancos angolanos a respeito dos instrumentos financeiros emanados na IFRS 7. Foi realizado uma pesquisa exploratória de natureza qualitativa, com itens de checklist para medir o grau de evidenciação dos bancos angolanos nos exercícios de 2015 e 2016. Foram analisados itens do balanço patrimonial, informações dos instrumentos financeiros derivativos qualitativos e quantitativos, gestão de risco e outros itens. Dos principais resultados destacam-se as informações de instrumentos financeiros quantitativos tiveram um aumento no grau de evidenciação de 69% para 100% entre 2015 e 2016. Também foi verificado um baixo nível de evidenciação, no item de análise de sensibilidade e outras divulgações de risco pelos bancos, com apenas 2 bancos evidenciando. O item de políticas e procedimento de gestão de riscos foi aquele mais divulgado pelos bancos com 100% de evidenciação. Verificou-se também que os bancos estrangeiros que estão em Angola são os que menos evidenciam em seus relatórios os itens obrigatórios do IFRS. Conclui-se que houve uma melhoria no grau evidenciação de 2015 para 2016 dos instrumentos financeiros.

Para participar do debate deste artigo, .


COMENTÁRIOS
Foto do Usuário Davi Lemos Reis 09-02-2021 12:50:35

A perspectiva de estudar a adoção das IFRS é interessante e ajuda a ver o impacto que estas mudanças tiveram inclusive no Brasil, ao destacar seu alcance global. Porém, sugiro que os autores repensem a metodologia explicitada no trabalho. Os autores defendem que usaram uma metodologia qualitativa, provavelmente por usar documentos e ter um esforço interpretativo para construir a escala binária. Porém, enquanto a coleta de dados documental é comum em pesquisas qualitativas, a análise dos dados usou método quantitativo. A pesquisa não seria, portanto, quali-quanti? Também chamo atenção a vários pontos do texto que apesar de fazer afirmações e trazer dados, como o início da seção de introdução e sobre o contexto da Angola, não são apresentados fontes. De onde vieram tais informações? Sugiro também defender como o estudo do contexto angolano é importante, por exemplo, para compreender a influência das IFRS no contexto brasileiro, o que enriqueceria e melhoraria a motivação do trabalho

Utilizamos cookies essenciais para o funcionamento do site de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.