artigos
Convibra Conference - Eu, minhas casas e minhas coisas: articulações entre consumo e segurança ontológica de expatriados brasileiros
Eu, minhas casas e minhas coisas: articulações entre consumo e segurança ontológica de expatriados brasileiros

DOCUMENTAÇÃO

Tema: Globalização e Internacionalização de Empresas

Acessos neste artigo: 64


Certificado de Publicação:
Não disponível
Certificado de Participação:
Não disponível

COMPARTILHE ESTE TRABALHO

AUTORIA

Ana Luisa Menna Barreto Amil , João Felipe Rammelt Sauerbronn

ABSTRACT
A desmobilização de espaço e lugar, vivenciada por expatriados - definidos como pessoas pertencentes a organizações internacionais ou expatriados autoiniciados, isto é, pessoas com qualificação profissional, em alguns casos no início de carreira, insatisfeitos com aspectos políticos, econômicos ou relacionados à segurança no seu país, que decidem por conta própria buscar um novo cenário profissional, uma oportunidade no exterior em busca de uma nova vida, de uma realização pessoal e profissional - traz no pacote um impacto de contrastes, tanto cultural quanto social. Algumas vezes, este desencaixe e reencaixe pode ser vivenciado com mais dificuldade, relacionado ao nível de adaptação e grau de confiança vivenciados pelo expatriado. No aspecto relativo à adaptação, foram verificadas variações, determinadas pelo desarranjo emocional vivenciado pela falta de rotinas familiares, lugares e coisas íntimas, o que pode ser justificado pela insegurança ontológica do sujeito. O objetivo desta pesquisa é investigar como o consumo colabora no ajustamento das identidades do expatriado e que aspectos de segurança ontológica foram revelados nas experiências vivenciadas. A base teórica da pesquisa é apoiada na teoria apontada por Giddens (1991), na qual todas as pessoas buscam um referencial de segurança ontológica de alguma espécie, baseada na manutenção da sua narrativa biográfica, em aspectos relacionados a familiaridade de lugares, em relações de confiança, nas escolhas de consumo, em crenças que minimizem a ansiedade, em tradições e rotinas cotidianas. Na etapa de campo, foram realizadas nove entrevistas individuais, com homens e mulheres, brasileiros, com idades entre 24 e 63 anos, no período de Julho de 2019 a Novembro de 2019, que já vivenciaram ou estou vivendo em outro país atualmente. A abordagem de pesquisa é qualitativa, de cunho exploratório. O consumo, nesse contexto, não só trouxe um lugar de distensão como favoreceu a construção de relações significativas, revelando um sujeito que faz suas escolhas de consumo, alinhado ao seu novo projeto de vida em outro país como expatriado, apoiado em atributos que constituem a sua identidade, escolhas de consumo que carregam sentido, trazem confiança e minimizam as carências sentidas em outro país.

Para participar do debate deste artigo, .


COMENTÁRIOS
Foto do Usuário Wagner Dolor Dos Santos 09-02-2021 09:50:35

Interessante a forma que o autor expõe a situação de uma pessoa que busca desafios e oportunidades num ambiente organizacional totalmente novo. Senti falta de uma metodologia mais detalhada e referências bibliográfica mais atuais. Pergunta: Como que o autor sugere que uma pessoa em meio a um ambiente totalmente novo, possa sobreviver e fazer diferença no ambiente atual e influenciar outros que possam vir?

Foto do Usuário Caio Henrique Decicco De Carvalho 09-02-2021 09:50:35

A introdução está muito bem fundamentada, bem como os resultados. Quebrar os resultados em tópicos correlacionando com as dimensões facilita a leitura e deixa os resultados sólidos. Um ponto de atenção é que o referencial teórico poderia ser mais atual, o artigo mais ''novo'' citado é de 2015. Sugestão: a pesquisa realizada foi uma pesquisa em profundidade, a metodologia poderia estar mais rica, citando as perguntas, quais conceitos eram relativos a cada pergunta. Pergunta: com quais trabalhos recentes (dos últimos 5 anos) a pesquisa conversa? O tema é muito relevante e tem muito campo para dialogar.

Foto do Usuário Janini Da Cunha Borba 09-02-2021 09:50:35

Trata-se de um trabalho muito bom. Bem elaborado, contextualizado e estruturado. No entanto, senti falta da corroboração de mais autores em debate sobre o assunto. Deixo meus PARABÉNS a equipe pelo excelente trabalho ...

Foto do Usuário Glaucia Grellmann 09-02-2021 09:50:35

Assunto relevante e com embasamento teórico sólido. Contudo, atualizar os autores citados com publicações recentes podem enriquecer o trabalho. Sugiro também explorar e apresentar um pouco mais das entrevistas, perguntas realizadas, etc.

Utilizamos cookies essenciais para o funcionamento do site de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.