artigos
Convibra Conference - Percepções Sobre a Prática da Natação em Pessoas com Lesão Medular
Percepções Sobre a Prática da Natação em Pessoas com Lesão Medular

DOCUMENTAÇÃO

Tema: Educação Física, Nutrição, Fisioterapia e áreas afins na Gestão, Educação e Promoção da Saúde

Acessos neste artigo: 18


Certificado de Publicação:
Não disponível
Certificado de Participação:
Não disponível

COMPARTILHE ESTE TRABALHO

AUTORIA

Ana Paula Nassif Tondato Da Trindade , Monaliza Roberta Dos Anjos , Chineyder Corrêa Tolentino , Anderson Carvalho Santos

ABSTRACT
A lesão medular traumática é uma agressão à medula espinhal, que pode causar perda parcial ou total da motricidade voluntária e/ou da sensibilidade, além de comprometimento de diversos sistemas. Acarreta mudanças radicais na vida da pessoa, devido às alterações na dinâmica corporal e transformações abruptas pelas quais ela, sua família e seu entorno social mais próximo passam. A natação é um grande aliado para pessoas com deficiência, contribui para melhora da autoimagem, socialização e inúmeros benefícios fisiológicos citados por vários autores. Trata-se de um estudo com o objetivo de identificar a percepção física, mental e social que a prática da natação gera em pessoas com lesão medular. Foi pelo previamente aprovada pelo CEP-UNIARAXÁ, conforme o protocolo no. 1899/48. Poderiam participar do projeto indivíduos com idade entre 18 a 60 anos que praticassem natação pelo menos há 1 ano e que tivessem sofrido lesão medular em qualquer nível há pelo menos 2 anos. Os instrumentos utilizados foram uma avaliação física com coleta de histórico clinico, um questionário para se conhecer o impacto que a lesão causou e o teste de autoestima de Rosenberg. Participaram deste estudo três nadadores com lesão medular com idade 18 a 60 anos. A pesquisa se iniciou, após explicação do estudo e da assinatura dos participantes do TCLE. A coleta de dados iniciou pelo levantamento dos dados pessoais, a lesão e pontos de vista sobre o cotidiano da vida do paciente antes e depois do início da prática da natação. Em seguida foi aplicado o teste de auto estima de Rosenberg, para avaliar a autoestima. A amostra foi composta por três alunos do sexo masculino com idade média de 37 anos com diagnóstico médico de paraplegia que praticam natação há mais de dois anos, essa amostragem perfaz 100% dos alunos com lesão medular praticantes de natação matriculados nas academias da cidade de Araxá. A grande dificuldade relatada por todos se refere a acessibilidade nos locais públicos, no caso especifico da natação existe grande dificuldade para sair e entrar na piscina. Os dados obtidos indicam que todos os casos obtiveram resultados positivos a autoestima, após a prática da natação.   

PALAVRAS CHAVES: Autoestima, lesão medular, natação.

Para participar do debate deste artigo, .


COMENTÁRIOS
Foto do Usuário Bianca Machado Ferreira 09-02-2021 12:50:35

Na lesão medular grave, os pacientes nessa condição podem práticas natação também ? Ótimo estudo, muito bem organizado !

Foto do Usuário Berliete Bolzani 09-02-2021 12:50:35

Escrita simples e clara e de facil compreensão para quem não é da áres.

Foto do Usuário Janilson Noca Da Silva 09-02-2021 12:50:35

Excelente abordagem e o tema foi tratado com muita seriedade científica.

Foto do Usuário Natalia Quevedo Dos Santos 09-02-2021 12:50:35

Excelente temática. Trabalho bem escrito e seguindo as normas.

Foto do Usuário Leonardo Dos Reis Bubanz 09-02-2021 12:50:35

Parabéns, artigo muito relevante e de boa escrita. um ótimo trabalho para contribuir com estudos futuros.

Foto do Usuário Guilherme Jackson Alves Da Silva 09-02-2021 12:50:35

o artigo traz uma solida explicação sobre o tema proposto pelo autor, onde o ele, e é bem claro em sua expressão em todo o trabalho.

Foto do Usuário Kelen Gomes Ribeiro 09-02-2021 12:50:35

Olá, Monaliza dos Anjos e demais autores. Vejo com satisfação o trabalho que desenvolveram, que teve como objetivo identificar a percepção física, mental e social que a prática da natação gera em pessoas com lesão medular. Muito significativo o desenvolvimento de trabalhos que tragam a saúde da população com deficiência como pauta, assim como suas percepções sobre os fenômenos. Construir conhecimentos sobre o assunto e divulgá-los para a sociedade ampla é uma maneira importante de trazer à tona as demandas dessas pessoas por inclusão social que, embora já estejam em políticas públicas, muitas vezes ainda não estão atendidas. Parabéns pela iniciativa! Como sugestão, trago a importância de deixarem explícito desde o resumo quais os instrumentos utilizados para coleta de dados. Mesmo na metodologia, há uma confusão entre entrevista e questionário (7º parágrafo do tópico “metodologia”), trazendo a necessidade de mais esclarecimentos. Não ficou evidenciada o tipo de análise feita com o material coletado a partir da abordagem qualitativa. Qual foi? Gostaria de pedir, se possível, que aperfeiçoassem o trabalho de vocês nesse sentido. É fundamental que essa informação esteja no resumo inicial e na metodologia. Desde já, agradeço pela exposição e possibilidade de interação. Atenciosamente, Kelen Gomes Ribeiro

Foto do Usuário Fabileny Sara Barcelos 09-02-2021 12:50:35

Tema importantíssimo e muito bem escrito, parabéns aos autores.

Foto do Usuário Denilson Dutra Da Silva 09-02-2021 12:50:35

é uma satisfação ler esse trabalho bem escrito, então tem boa relevância, e tem bons resultados.