artigos
Convibra Conference - RAZAO E EMOÇÃO NAS DECISÕES: O QUE PENSAMOS E O QUE EFETIVAMENTE FAZEMOS
RAZAO E EMOÇÃO NAS DECISÕES: O QUE PENSAMOS E O QUE EFETIVAMENTE FAZEMOS

DOCUMENTAÇÃO

Tema: Finanças

Acessos neste artigo: 25


Certificado de publicação:
Certificado de Érico Veras Marques

Certificado de participação:
Certificado de Érico Veras Marques

COMPARTILHE ESTE TRABALHO

AUTORIA

Érico Veras Marques , Maria Aurilene Sales Dos Santos , Wanessa Hellen Santana Do Nascimento , Jordânia De Sousa Gomes

ABSTRACT
A tomada de decisões é um processo intrínseco à vida humana, a qual leva à escolha de uma das alternativas disponíveis para resolver determinado problema. A teoria financeira moderna baseia-se na racionalidade ilimitada dos agentes quando na tomada de decisão, na busca da melhor escolha para maximização da utilidade (JEUNG, SCHWIEREN, & HERPERTZ, 2016). Sob a perspectiva da teoria das finanças comportamentais o agente econômico passa a ser considerado como um ser de racionalidade limitada, em que além desta, existem outras variáveis que o influenciam na sua decisão (KAHNEMAN, TVERSKY, 1979). Dessa forma, o objetivo geral desse estudo foi analisar a presença da racionalidade e da emoção no processo decisório. Tendo como objetivo específico analisar a presença da racionalidade e da emoção nas decisões de consumo, de investimento, de cunho pessoal e de cunho familiar. A pesquisa é quantitativa, pela aplicação de um questionário com 75 assertivas, e qualitativa, pela realização de entrevistas com 15 questões subjetivas. Obteve-se 263 questionários válidos e 28 entrevistas. O questionário fez uso da escala Likert, de cinco pontos (Discordo Totalmente até Concordo Totalmente). Nas entrevistas, foram destacados temas como compras, influência das marcas nos preços, investimentos e planejamento financeiro familiar, por exemplo. A análise dos dados qualitativos se deu pela interpretação do conteúdo obtido pelo auxílio do software Atlas.ti 8. Os resultados encontrados demonstraram que as decisões de consumo sofrem influência dos amigos e das informações da internet, o que coincide com o perfil de jovens, universitários e solteiros. No que se refere à discussão do orçamento é algo restrito aos pais e os jovens não participam. Pode-se inferir que discutir dinheiro de forma transparente ainda é algo muito difícil.

Para participar do debate deste artigo, .


COMENTÁRIOS
Foto do Usuário Rafaella Santino 09-02-2021 12:50:35

Ótimo trabalho, bem construído e provocador. Parabéns!

Foto do Usuário Ivanilda Silva 09-02-2021 12:50:35

Texto bem escrito e bem estruturado. Entretanto, por utilizar duas metodologias diferentes no mesmo trabalho, houve certa confusão no linguajar característico às metodologias quantitativas e qualitativas, mas nada que desfavoreça o trabalho em si. Gostaria de saber por que a opção pela utilização das duas metodologias em um mesmo trabalho? Não fica claro qual o benefício da dupla análise. Ivanilda Silva

Foto do Usuário Arlete Cherobini Orth 09-02-2021 12:50:35

Trabalho bem estruturado e bem escrito. Temática pertinente e provocador.

Foto do Usuário Janaina Da Silva Neto Chaves 09-02-2021 12:50:35

O temática é bastante interessante e instigadora. O trabalho está bem elaborado, com excelentes autores em suas citações. É uma ótima leitura. Parabéns!

Foto do Usuário Luzia Cecilia De Souza Silva 09-02-2021 12:50:35

Artigo muito bem escrito, bem estruturado. Tema muito relevante, objetivo e revisão de literatura muito bem apresentados, bem como os resultados.

Foto do Usuário Suellen De Fatima Silva Freitas 09-02-2021 12:50:35

Parabéns pela temática abordada, construção teórica e finalidade. Artigo proposto possui clareza e objetividade. Suellen de Fatima Silva Freitas