artigos
Convibra Conference - ANÁLISE DA EFICIÊNCIA DAS MAIORES COOPERATIVAS AGROINDUSTRIAIS DA REGIÃO SUL DO BRASIL
ANÁLISE DA EFICIÊNCIA DAS MAIORES COOPERATIVAS AGROINDUSTRIAIS DA REGIÃO SUL DO BRASIL

DOCUMENTAÇÃO

Tema: Contabilidade

Acessos neste artigo: 69


Certificado de publicação:
Certificado de Rúbia Cristiele Rambo

Certificado de participação:
Certificado de Alan Rafael Kaiser

COMPARTILHE ESTE TRABALHO

AUTORIA

Rúbia Cristiele Rambo , Alan Rafael Kaiser , Martin Airton Wissmann

ABSTRACT
O presente trabalho teve como objetivo analisar a eficiência das 5 maiores cooperativas agroindustriais da Região Sul do Brasil, nos períodos de 2017 a 2019. A abordagem do problema foi quantitativa. A pesquisa é classificada como exploratória em relação aos seus objetivos e documental aos procedimentos utilizados.  Os dados sociais, econômicos e financeiros foram extraídos dos relatórios anuais das cooperativas e para obter os índices de eficiência, utilizou-se o método Data Envelopment Analisys (DEA). Com base nos resultados, elaborou-se um ranking de eficiência dos períodos analisados. A partir das variáveis utilizadas no estudo, em 2017, 60% das cooperativas analisadas foram eficientes. Já em 2018, 80% e em 2019, 60% das cooperativas se mostraram eficientes. Os resultados demonstraram que três cooperativas (Coamo, Cocamar e Copacol) obtiveram eficiência máxima em todo o período analisado. A Lar oscilou mostrando eficiência máxima em somente um dos anos, enquanto que a C.Vale não alcançou, em nenhum dos três anos analisados, a eficiência máxima.

Para participar do debate deste artigo, .


COMENTÁRIOS
Foto do Usuário Ramon Rodrigues Dos Santos 09-02-2021 09:50:35

O trabalho tem o mérito de estimular novas reflexões em torno do tema explorado. Possui uma estrutura adequada para resumir os aspectos relacionados ao artigo proposto. Apresenta um bom problema de pesquisa, razoavelmente alcançado na análise dos resultados. O conteúdo é coerente por muitas vezes no artigo. Sugiro melhorias de natureza gramatical e de formatação ABNT, o que não desmerece a escrita dos autores, entretanto, buscará ajustar aspectos necessários a esta pesquisa. Em complemento, sugiro adicionar considerações relacionadas à estudos anteriores sobre eficiência operacional, financeira e técnica em cooperativas, o que denotaria uma “ponte” aos procedimentos metodológicos. Ademais, sugere-se uma abordagem metateórica deste trabalho, através de trabalhos internacionais indexados em bases como Scopus ou Web of Science a fim de que os achados da pesquisa venham a corroborar de forma mais adequada à temática da eficiência de cooperativas agroindustriais em periódicos brasileiros, o que robusteceria a interpretação dos achados.

Foto do Usuário Andressa Bender 09-02-2021 09:50:35

Muito bom o artigo. A expansão dos estudos para outros setores onde as cooperativas são destaque seria muito relevante para a análise do setor frente as demais empresas não-cooperativas. Como se avalia a participação cada vez maior das Cooperativas no PIB nacional, especialmente as Empresas do estado do Paraná?

Foto do Usuário Juliany Soares Curti 09-02-2021 09:50:35

Muito bom o artigo. Apresenta uma estrutura contendo todos os requisitos necessários. O objetivo está alinhado com a problemática de pesquisa e com o método utilizado. Parabéns aos autores!!

Foto do Usuário André Cantareli Da Silva 09-02-2021 09:50:35

Excelente trabalho. Foram sugeridas ações de melhorias às cooperativas de menor rendimento?

Foto do Usuário Douglas José Mendonça 09-02-2021 09:50:35

O artigo se propõe a utilizar o método da Análise Envoltória de Dados (DEA). Para a correta utilização desse método, é necessária a definição de qual tipo de eficiência se pretende medir: técnica, operacional ou de custos. Após a definição do tipo de eficiência, é preciso escolher entre os modelos CCR ou BCC. O modelo CCR pressupõe a não existência de uma relação significativa entre a escala de operações e eficiência; esse modelo assume a premissa de retornos constantes de escala (CRS - Constant Returns to Scale), e proporciona a eficiência técnica global. Já o modelo BCC é utilizado para avaliar a eficiência das DMU’s que têm como características os retornos variáveis (VRS - Variable Returns to Scale). Além dessas especificações, é necessário definir qual a orientação do modelo, ou seja, se a eficiência mensurada visa minimizar os insumos (orientação para inputs) ou visa maximizar os resultados (orientação para outputs). Entretanto, o artigo não abordou nenhum desses aspectos nos procedimentos metodológicos, tornando questionáveis os resultados. Na utilização de uma técnica quantitativa, a não observação dos pressupostos da respectiva técnica invalida as conclusões apresentadas. Seria necessário que o tópico de metodologia contemplasse todas as especificações inerentes à DEA. Também se observa que foi violado o pressuposto de o número de DMU’s ser superior ao número de inputs e outputs. Os resultados apresentados na Tabela 05 estão enviesados, uma vez que a aplicação da metodologia foi feita de forma inadequada.

Foto do Usuário Viviane Lilian Da Costa 09-02-2021 09:50:35

Embora a proposta seja interessante, o trabalho carece de reformulação em alguns aspectos. Necessita de melhor articulação teórica (inclusive analisando os resultados à luz da teoria), revisão gramatical e readequações na aplicação da Análise Envoltória de Dados (DEA). Há problemas metodológicos em relação à forma de aplicação da DEA e faltam detalhamentos importantes no tópico de metodologia. Também se observa que o artigo fala em “possíveis justificativas” para alguns dos resultados obtidos, mas com inferências que não são sustentadas pelos dados. Apenas jogar informações e colocá-las como “possíveis justificativas” não é um procedimento que possa ser considerado científico.

Utilizamos cookies essenciais para o funcionamento do site de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.