artigos
Convibra Conference - A INFLUÊNCIA DE UM ENTERPRISE RESOURCE PLANNING NA GESTÃO DA CONTABILIDADE DE CUSTOS
A INFLUÊNCIA DE UM ENTERPRISE RESOURCE PLANNING NA GESTÃO DA CONTABILIDADE DE CUSTOS

DOCUMENTAÇÃO

Tema: Contabilidade

Acessos neste artigo: 24


Certificado de publicação:
Certificado de Rodolfo Vieira Nunes
Certificado de Rodolfo Vieira Nunes

COMPARTILHE ESTE TRABALHO

AUTORIA

Rodolfo Vieira Nunes , George André Willrich Sales , Marcelo Antonio Junior

ABSTRACT
A Tecnologia da Informação (TI) está cada dia mais presente nas atividades rotineiras das organizações, de modo que se torna imprescindível aos gestores e contadores sua implementação. A sua adequada utilização tem sido um elemento que proporciona uma vantagem competitiva entre as empresas. Devido aos inúmeros fluxos de processos e informações dentro de uma organização, nota-se a necessidade de uma gestão de custos para otimizar e gerar valor. Ou seja, uma gestão de custos eficiente passa por implantar um sistema integrado de gestão (ERP) para dar confiabilidade as informações. O objetivo do artigo é verificar a importância e a necessidade de controles na contabilidade de custos, por meio da implementação de um ERP. Assim, estrutura-se em uma pesquisa descritiva e qualitativa, sendo os procedimentos técnicos um estudo de caso na empresa Opinio S/A. Os resultados demonstram que a organização apresentou dificuldades no gerenciamento do rateio na alocação e apuração dos custos, levando a situações de erros e limitações na tomada de decisão. Assim, um ERP possibilita uma padronização no método de rateio escolhido, menor risco de perda de informações, redução de retrabalho no gerenciamento, agilidade na elaboração de relatórios gerenciais e fidedignidade na apuração dos custos.

Para participar do debate deste artigo, .


COMENTÁRIOS
Foto do Usuário Ewerton Alex Avelar 09-02-2021 12:50:35

_ Primeiramente, parabenizo aos autores por explorarem o tema Contabilidade de Custos no contexto dos ERP. Além disso, saliento que o desenvolvimento de um estudo de caso parece ser a melhor alternativa nesse sentido, por permitir uma melhor contextualização dos achados. A seguir, apresento algumas considerações e sugestões para o trabalho, que julgo serem passíveis de avaliação para o seu aprimoramento: (a) creio que algumas afirmações genéricas como “a tecnologia caracteriza-se como sendo indispensável” (p. 1) devem ser evitadas, considerando que podem ser apresentados, sem muita dificuldade, contraexemplos na pesquisa empírica; (b) há alguns erros gramaticais, que exigem revisão ao longo do texto; (c) ao se abordar o custeio variável, sugiro citar o fenômeno do sticky costs e, ao descrever o ABC, recomendo citar o TDABC, sendo ambas as citações complementos, para descrever desenvolvimentos em custos relacionado aos referidos tópicos neste século; (d) a discussão sobre o ERP na literatura apresentada é pouco crítica, destacando principalmente os benefícios de tais sistemas; (e) a caracterização da pesquisa como estudo de caso não parece tão aderente aos parâmetros clássicos de Yin (2005), sugere-se revisão; (f) ainda na parte metodológica, não ficou claro se foi feita apenas uma entrevista, nem se como a análise de conteúdo (BARDIN, 2011) foi desenvolvida; (g) a apresentação dos resultados está pouco desenvolvida, confundindo-se com o relato do entrevistado apenas; (h) há poucas referências relacionadas a periódicos e predominância de livros-texto, recomenda-se uma preferência de pesquisas mais recentes publicadas naqueles. _ Diante do exposto, seguem questões que recomendo para a reflexão dos autores: No texto, afirma-se que para “uma a empresa que, há 12 anos consecutivos, figura no ranking das melhores instituições de gestão de investimentos, é inadmissível ficar tão defasada no mercado financeiro”, porém, aparentemente, a empresa está conseguindo se manter com uma vantagem competitiva no mercado apesar dessa defasagem; assim, seria realmente estratégico o papel da Contabilidade de Custos para a mesma? Ademais, o custeio por absorção, abordado no caso, é usualmente empregado para divulgação de informações a usuários externos, sendo discutível seu suporte na tomada de decisão de usuários internos; desse modo, por que esperar que esse método poderia ser a referência para a empresa? _ Algumas referências recomendadas: Anderson, M. C., Banker, R. J., & Janakiraman, S. N. (2003). Are selling, general, and administrative cost “sticky”?. Journal of Accounting Research, 41(1), 47-63. Cohen, S., & Kaimenaki, E. (2011). Cost accounting systems structure and information quality properties: an empirical analysis. Journal of Applied Accounting Research, 12(1), 5-25. Kaplan, R. S., & Anderson, S. R. (2003). Time-driven activity-based costing. Recuperado em 17 de fevereiro, 2019, de: https://papers.ssrn.com/sol3/papers.cfm?abstract_id=485443. Pizzini, M. J. (2006). The relation between cost-system design, managers’ evaluations of the relevance and usefulness of cost data, and financial performance: an empirical study of US hospitals. Accounting, Organizations and Society, 31(2), 179-210. Yin, R. K. (2005) Estudo de caso: planejamento e métodos (3ª ed). Porto Alegre: Bookman.

Foto do Usuário Vanessa Seefeld 09-02-2021 12:50:35

Parabéns pelo artigo, temática bastante pertinente e apresenta resultados satisfatórios! O estudo de caso foi bem estruturado, o objetivo da pesquisa atingido e as referências bibliográficas foram bem amplas e condizentes com a pesquisa. É importante a pesquisa desta temática, pois a gestão de custos aliada à tecnologia da informação podem apresentar informações e relatórios para que sejam tomadas decisões assertivas na organização.

Foto do Usuário Annandy Raquel Pereira Da Silva 09-02-2021 12:50:35

Parabéns, temática importante e resultados interessantes.

Utilizamos cookies essenciais para o funcionamento do site de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.