artigos
Convibra Conference - A Relação da Independência do Conselho de Administração Com o Desempenho Financeiro das Empresas Familiares no Brasil
A Relação da Independência do Conselho de Administração Com o Desempenho Financeiro das Empresas Familiares no Brasil

DOCUMENTAÇÃO

Tema: Finanças

Acessos neste artigo: 81


Certificado de Publicação:
Não disponível
Certificado de Participação:
Não disponível

COMPARTILHE ESTE TRABALHO

AUTORIA

Samy Mesnik

ABSTRACT
O Brasil evoluiu na conjuntura de governança corporativa e este tema tornou-se recorrente em trabalhos acadêmicos devido ao interesse por pesquisadores, gestores, investidores, reguladores, entre outros agentes. 
Um fator relevante sobre as empresas de capital aberto no Brasil é que, em sua maioria, apresentam características de organizações familiares devido a propriedade e controle detidas por um mesmo núcleo familiar. 
Entre algumas das práticas de governança corporativa no Brasil, está a presença obrigatória de pelo menos 20% de conselheiros independentes na composição do conselho de administração das empresas listadas em certos níveis da bolsa de valores brasileira. 
Muitos artigos abordam as contribuições ou implicações, em termos qualitativos, da presença destes agentes no conselho de administração. 
Este trabalho propõe uma análise quantitativa a partir de modelos econométricos para constatar a relação de conselheiros independentes com o desempenho financeiro das empresas de capital aberto.

Para participar do debate deste artigo, .


COMENTÁRIOS
Foto do Usuário álan Andrew De Souza 09-02-2021 09:50:35

Introdução contém parágrafos sem citar a fonte (por ex. 3o parágrafo), além de usar fontes antigas para alicerçar o problema e justificar o estudo (por ex. A pesquisa acadêmica reconhece a prevalência e o melhor desempenho das empresas familiares em todo o mundo (Allouche & Amann, 2000). O parágrafo que fala sobre ''Brasil''tem informações relevantes que estão sem a fonte. Não foram explorados os conceitos das variáveis independentes ROE, ROA e Q de Tobin, bem como por quais motivos foram escolhidos esses indicadores financeiros, quando poderiam ser utilizados: Margens de Lucro, Ebitida, etc...

O tema é relevante, mas sugiro que seja realizada uma revisão na formatação do artigo, quanto aos parágrafos e às referências ao fim do texto. Há parágrafos sem fonte. Além disso, Anderson (2003) e Anderson et al (2002), Armitage et al (2017), Allouche e Amann (2000), dentre outros, estão citados no texto, mas não constam nas referências.

Foto do Usuário Sergio Augusto Da Motta 09-02-2021 09:50:35

Muito embora as boas práticas de Governança Corporativa sejam um tema de alta relevância para a administração das empresas na atualidade, o artigo avaliado apresentou algumas dificuldades para alcançar o objetivo da pesquisa. Não restou claro, por exemplo, se a hipótese de que a detenção do controle acionário, presidência do Conselho de Administração e CEO por uma família, que caracterizaria o a ''empresa familiar'', foi, de fato, utilizada para selecionar a amostra ''rodada'' no modelo econométrico. Fato esse que pode ter comprometido o resultado da regressão.

Foto do Usuário Alexandre Esteves 09-02-2021 09:50:35

Tema relevante para o estudo das organizações, em especial no Brasil. Sugere-se inserir conteúdo que esclarece e justifique a escolha das variáveis explicativas, e o porquê outras variáveis clássicas de desempenho foram suprimidas, tais como a lucratividade (relação lucro e receita) e a variação yoy do lucro operacional, líquido etc. Sugere-se a revisão da formatação geral do artigo. O modelo econométrico não foi exposto de forma clara, em especial na seleção da amostra caracterizada como empresa familiar.

Utilizamos cookies essenciais para o funcionamento do site de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.