artigos
Convibra Conference - Componentes de produção de oliveiras Arbequina, Arbosana e Koroneiki em Chapecó, SC.
Componentes de produção de oliveiras Arbequina, Arbosana e Koroneiki em Chapecó, SC.

DOCUMENTAÇÃO

Tema: Horticultura

Acessos neste artigo: 61


Certificado de Publicação:
Não disponível
Certificado de Participação:
Não disponível

COMPARTILHE ESTE TRABALHO

AUTORIA

Rafael Roveri Sabião , Eduardo Cesar Brugnara

ABSTRACT
Oliveiras (Olea europaea L.) tem apresentado produção irregular em áreas de altitude média (500 a 800 m) do Estado de Santa Catarina, mesmo aquelas de baixa exigência de frio. Apesar de algumas observações empíricas, pouco se conhece sobre a importância de cada componente de produção na quantidade de produto colhido. Podemos definir os componentes da produção de oliveiras como: número total de gemas (volume da copa e densidade de ramos novos sujeitos à indução floral), porcentagem de gemas reprodutivas, número de flores por inflorescência, fruit set e massa média dos frutos. Esses componentes têm correlação positiva com a produção por planta. Para se atingir alta produtividade, é necessário que florescimento seja intenso, pois o fruit set (frutos produzidos por flor emitida) é menor que 10%. O objetivo deste trabalho é quantificar alguns componentes de produção de oliveiras nas condições edafoclimáticas subtropicais do oeste catarinense. Oliveiras ‘Arbequina (n=3)’, ‘Arbosana’ (n=4) e ‘Koroneiki’ (n=4), plantadas em Chapecó – SC, que já haviam florescido antes, mas não tinham produção significativa (ano off), foram utilizadas. As plantas, de cinco anos, apresentavam no tempo zero diâmetros entre 2,69 e 4,14m e alturas de 2,66 a 3,6m, e foram manejadas de forma padrão. Nelas, foram selecionados aleatoriamente no outono 120 ramos por cultivar dentre aqueles prováveis de serem reprodutivos na estação seguinte (ramos do ano), medindo de 15 a 35cm, prostrados, sem ramificações laterais, onde se avaliou por duas safras a quantidade de gemas, inflorescências, flores e frutos emitidos/fixados (exceto os partenocárpicos). Foram observadas baixas taxas de ramos com flor (0,8 a 40,8%), variando entre cultivares e safras. As taxas de gemas com flor também foram baixas (0,03 a 3,93%), especialmente no cultivar Arbosana, nas duas safras. O resultado é pouca quantidade de inflorescências por centímetro de ramo e de flores. O fruit set médio das cultivares foi próximo a 10% na primeira safra, que pode ser considerado ótimo. Porém, normalmente é consequência da baixa quantidade de flores. Na segunda safra, os valores abaixo de 5% poderiam ser considerados adequados se a floração tivesse sido abundante. Por fim, a produtividade nas duas safras foi baixa (1,4kg planta-1 na ‘Koroneiki’ e insignificante nas demais), acompanhando as taxas de florescimento. A causa mais provável para a baixa produção foi o florescimento insuficiente, causado pelo acúmulo de frio de qualidade insuficiente para diferenciação das gemas induzidas na estação de crescimento. Porém, o frui set pode ser elencado, pelo menos em parte dos anos, pois mesmo com florações de baixa intensidade, na segunda safra o mesmo ficou abaixo de 5%. Problemas na quantidade de pólen, seu transporte e polinização podem ter limitado a frutificação.

Para participar do debate deste artigo, .


COMENTÁRIOS
Foto do Usuário Helio Fernandes Ibanhes Neto 09-02-2021 09:50:35

O intuito do estudo é interessante, pois busca analisar zoneamento agroclimático para aumento da área produtiva de oliveiras no estado de SC, além de levar alternativas de renda aos produtores. O trabalho pode ser melhorado em alguns aspectos, sendo o principal a realização de uma análise estatística com os dados, os quais podem ser não significativos, já apontando um caminho para melhor discussão. Além da parte estatística, tratando-se de zoneamento, características do local do experimento são de suma importância, tal como regime pluviométrico e temperaturas mínima e máxima durante o ano. Assim seria possível analisar a possibilidade de ocorrencia ou não de horas de frio necessárias para as cultivares testadas. Estas também podem ser melhora caracterizadas, com descrição de cor de fruto e necessidade de horas de frio para florescer.

Foto do Usuário Ananda Covre Da Silva 09-02-2021 09:50:35

Trabalho relevante por estudar o comportamento de uma cultura que pode se tornar opção para produtores da região. É um trabalho mais descritivo, pois não há análise estatística para concluir se houve alguma cultivar com maior potencial comparada as demais testadas. Justamente por essa característica acredito que a descrição climática do local em que o teste aconteceu acrescentaria o material e métodos e iria auxiliar nos resultados. Entende- se que a baixa exposição ao frio prejudicou a produção, mas qual a temperatura média do local? Faltou explicar o que é o componente fruit set.

Foto do Usuário Felipe Jochims 09-02-2021 09:50:35

Trabalho muito importante, principalmente por se tratar de uma opção para produtores da região. Os resultados indicam que não é em qualquer lugar que a cultura se adapta e na minha opinião isso é extremamente importante de se saber, principalmente para evitar frustrações de safras e prejuízos financeiros. Só faltou uma análise estatística dos resultados.

Foto do Usuário Maria Dos Anjos Corrêa Dias 09-02-2021 09:50:35

O artigo tem um conteúdo interessante, porém achei um pouco desorganizado, os materiais e métodos e principalmente quanto as tabelas colocadas após as referências, isso dificultou um pouco a fluidez da leitura dos resultados, sugiro que tente enquadra-las dentro do tópico resultados, poderia até dividir as informações da Tab. 2 em duas tabelas, visto que ela é a maior. Faltou também usar o cabeçalho sugerido pelo evento assim como algumas formatações do texto. No mais, meus parabéns!!!

Foto do Usuário Maria Cristina Canale 09-02-2021 09:50:35

O trabalho precisaria de um resumo curto, e a introdução, além de todo o trabalho, teria que passar por uma revisão de escrita. Mas o resultados de componentes de produção das oliveiras mensurados em dois anos estão em duas tabelas bem informativas.

Utilizamos cookies essenciais para o funcionamento do site de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.