artigos
Convibra Conference - EVOLUÇÃO DA BIOMASSA SECA DA PARTE AÉREA PROPORCIONADA POR DIFERENTES PLANTAS DE COBERTURA DE OUTONO/INVERNO
EVOLUÇÃO DA BIOMASSA SECA DA PARTE AÉREA PROPORCIONADA POR DIFERENTES PLANTAS DE COBERTURA DE OUTONO/INVERNO

DOCUMENTAÇÃO

Tema: Agricultura

Acessos neste artigo: 20


Certificado de publicação:
Certificado de João Henrique Vieira de Almeida Junior

COMPARTILHE ESTE TRABALHO

AUTORIA

Vagner Do Nascimento , Vinicius Cesar Sambatti , João Henrique Vieira De Almeida Junior , Giliardi Dalazen , Guilherme Semião Gimenez

ABSTRACT
O conhecimento do acúmulo de matéria seca da parte aérea se tornou um aliado para o estudo e tomadas de decisão no sistema produtivo, no que diz respeito à quantidade e a qualidade dos resíduos vegetais que irão ser incorporados ao sistema. O objetivo deste trabalho foi avaliar o desempenho de três espécies de plantas de cobertura de outono/inverno (aveia preta, nabo forrageiro e centeio), verificando a produção de matéria seca, sob sistema de consórcio e solteiro. O experimento foi conduzido no município de Londrina – PR, na Fazenda Escola da Universidade Estadual de Londrina – UEL. O delineamento experimental utilizado no experimento foi de blocos casualizados, contendo oito tratamentos com quatro repetições: aveia preta, centeio, nabo forrageiro, aveia preta + nabo forrageiro, centeio + nabo forrageiro, aveia preta + centeio, aveia preta + centeio + nabo forrageiro e pousio. Aos 30, 45, 60, 75, 90 e 105 dias após a semeadura (DAS) foram realizadas avaliações do acúmulo de biomassa seca da parte aérea (BSPA) das plantas de cobertura em cada parcela. Os dados foram submetidos à ANOVA e as médias comparadas pelo teste de Scott Knott (p <0,05). Os maiores acúmulos BSPA aos 105 DAS foram obtidos pelos tratamentos compostos por centeio + nabo e aveia + centeio + nabo, com cerca de 7,3 Mg ha-1. Os tratamentos contendo nabo forrageiro e nabo forrageiro + aveia estabilizam o acúmulo de BSPA a partir dos 75 DAS, sendo boas opções de plantas de cobertura em períodos curtos. Para os demais tratamentos, o acúmulo de BSPA foi crescente até a última avaliação, aos 105 DAS.

Para participar do debate deste artigo, .


COMENTÁRIOS
Foto do Usuário Helio Fernandes Ibanhes Neto 09-02-2021 12:50:35

Parabéns pelo trabalho! Excelente resumo expandido, com tema que favorece muito a evolução do uso de plantas de cobertura, e consequentemente o manejo integrado de plantas daninhas. Os resultados alcançados mostram alternativas flexíveis para todos os tipos de janela de produção.

Foto do Usuário Luana Taina Machado Ribeiro 09-02-2021 12:50:35

O Texto está muito bom e de fácil compreensão, tendo em vista também que é um assunto muito relevante, já que estamos procurando cade vez mais métodos sustentáveis.

Foto do Usuário Millena Ramos Dos Santos 09-02-2021 12:50:35

Trabalho de suma importância e relevância para a área, com resultados que demonstram alternativas para o uso de plantas de cobertura.