artigos
Convibra Conference - ATRIBUTOS FÍSICO- QUÍMICOS DO SOLO MODIFICADOS PELO CONSÓRCIO MILHO- UROCHLOA RUZIZIENSIS
ATRIBUTOS FÍSICO- QUÍMICOS DO SOLO MODIFICADOS PELO CONSÓRCIO MILHO- UROCHLOA RUZIZIENSIS

DOCUMENTAÇÃO

Tema: Ciências do solo

Acessos neste artigo: 20


Certificado de publicação:
Certificado de Lara Marie Guanais Santos

Certificado de participação:
Certificado de Lara Marie Guanais Santos

COMPARTILHE ESTE TRABALHO

AUTORIA

Lara Marie Guanais Santos , Vinícius Andrade Favoni , Gabriel Danilo Shimizu , Smaylla El Kadri Ceccatto , Natassia Magalhães Armacolo , José Victor Freitas Dos Santos , Otávio Jorge Grigoli Abi Saab , Ricardo Ralisch

ABSTRACT
O consórcio de milho (Zea mays L.) com Urochloa dentre as opções de consórcio, é a mais utilizada por permitir o desenvolvimento da cultura comercial simultaneamente à uma cultura que proporciona melhorias nos atributos físico-químicos do solo. Este trabalho tem o objetivo de avaliar a produtividade do milho e da soja subsequente, em consórcio com Urochloa ruziziensis, e sua relação com os atributos físico-químicos do solo. O experimento foi realizado no município de Cândido Mota- SP, na safra 2018/2019, em Latossolo Vermelho argiloso. Os tratamentos avaliados foram: consorciado (C) com Urochloa ruziziensis e não consorciado (NC). As coletas de solo foram realizadas de maneira casualizada para cada tratamento nas camadas de 0,0-0,10 e 0,10-0,20 m de profundidade, para avaliação de atributos físico-químicos. Os dados de colheitas foram obtidos por meio de monitor de produtividade acoplado à colhedora. Observou-se que o teor de K e o V% foram superiores na camada de 0,0-0,10 m na área consorciada e os maiores teores de Mg, Ca, K e CTC foram observados na camada de 0,10-0,20 m na área consorciada. Na análise da estrutura do solo, o tratamento consorciado apresentou melhores características físicas do solo atribuindo melhora na produtividade da soja subsequente, associada ao consórcio em primeiro ano.

Para participar do debate deste artigo, .


COMENTÁRIOS
Foto do Usuário Stefanie Lais Kreutz Rosa 09-02-2021 12:50:35

Os autores apresentam justificativa plausível para a maior produtividade final no tratamento não consorciado do milho (déficit hídrico no período de enchimento de grãos e velocidade de estabelecimento da forrageira). O uso da forrageira Urochloa ruzizien

Foto do Usuário Jefrejan Souza Rezende 09-02-2021 12:50:35

Bom Trabaho. Importante se buscar alternativas para um manejo do solo mais sustentável. Sugestão: Só cuidado, pois o título não reflete bem o trabalho ou seja, os objetivos. No título faltou colocar a avaliação de produção. Nos resultados estatíticos procure sempre colocar dados de variabilidade como corficiente de variação ou desvio padrão. Pergunta: Os senhores podem afirmar que a área consorciada possui uma melhor qualidade física a um nível de significância adequada? No mais foi um excelente trabalho

Foto do Usuário Alvaro Graeff 09-02-2021 12:50:35

Trabalho classico de sucessão de culturas para vários objetivos entre eles este trabalho. Bom trabalho

Foto do Usuário Josi Mylena De Brito Santos 09-02-2021 12:50:35

O trabalho tem um bom tema, porém tem alguns aspectos relacionados a estatística, metodologia de coleta e análise da fertilidade que ficaram pouco lucidas no decorrer do texto.

Foto do Usuário Jeniffer Bonfim De Oliveira 09-02-2021 12:50:35

Gostei muito do trabalho fácil leitura e desenvolvimento. Um ponto a destacar, como a Urochloa teve essa competição e por eventualidades do ambiente, é a mais recomendada para a cultura do milho? Mesmo posteriormente retornando em lucro para a soja ? E sugestão, poderia repetir esse experimento com mais tempo entre as culturas, e outros consórcios.