Levantamento e sazonalidade de pragas e inimigos naturais na fase inicial de cultivo de café conilon em Itacoatiara-AM.

DOCUMENTAÇÃO

Tema: Entomologia

Acessos neste artigo: 12


Certificado de Publicação:
Não disponível
Certificado de Participação:
Não disponível

COMPARTILHE SEU TRABALHO

AUTORIA

Geraldo José Nascimento De Vasconcelos , Fabio Medeiros Ferreira , Raniel Costa Da Silva , Edvam Gama De Melo

ABSTRACT
Nas regiões onde o café já vem sendo cultivada a anos, várias pragas têm interferido de forma quantitativa e qualitativa na produção. As pragas do cafeeiro apresentam comportamentos regulados por fatores intrínsecos do ambiente e presença de inimigos naturais. A alteração desses fatores leva à instabilidade do equilíbrio e ocasiona alterações bruscas das populações. Dessa forma, o objetivo do estudo foi determinar quais são as pragas e os inimigos naturais ocorrentes na fase inicial de cultivo de café conilon, bem como a sazonalidade de ambos em Itacoatiara, Amazonas. O estudo foi conduzido em uma área experimental com 15 genótipos clonais de Coffea canephora, no delineamento experimental de blocos ao acaso, com quatro blocos e 12 parcelas por bloco, com seis plantas em cada parcela. O levantamento ocorreu mensalmente, em cada levantamento foram realizadas duas amostragens em cada parcela. Ao todo, foram encontrados 5.084 indivíduos, entre insetos e aracnídeos. As ordens mais representativas foram Hymenoptera, Hemiptera, Orthoptera, Lepidoptera, Coleoptera e Neuroptera, representando, respectivamente, 40,2, 33,7, 14,4, 3,8, 2,7 e 2,7% dos espécimes coletados. As comunidades mais representativas foram as de formigas, gafanhotos, cochonilhas, cigarrinhas e percevejos. Baseado nos indicadores da análise faunística e nos danos observados nas plantas, nenhum dos insetos fitófagos foi classificação como praga no agroecossistema cafeeiro estudado, estando o ambiente em equilíbrio e com uma alta diversidade de artrópodes. As principais comunidades ocorrentes nesse ecossistema são favorecidas pelas condições climáticas da época chuvosa. Comparando as cultivares de café estudas, não houve diferença na quantidade de insetos das principais comunidades entre as 15 cultivares. Com base nos resultados conclui-se que i) não foram detectadas pragas chaves e primarias na fase inicial de cultivo do café conilon; ii) os principais organismos associados ao cafezal ocorreram em maiores populações durante o período chuvoso; iii) os principais inimigos naturais atuantes no controle biológico foram joaninhas, vespas, bicho-lixeiro, louva-a-Deus e aranha.

Para participar do debate deste artigo, .


COMENTÁRIOS
Foto do Usuário Flávia Maria De Mello Bliska 08-05-2021 21:28:46

O Trabalho está bastante interessante. As tabelas estão bem elaboradas. As fotografias dos insetos observados durante os levantamentos de campo (amostragem) mostram o cuidado em registar o trabalho realizado. Os gráficos com as flutuações populacionais (média de inseto de cada comunidade/planta/coleta), na Figura 5, estão muito bons. Não consegui compreender a numeração das figuras. O texto se refere às Figuras 2, 3 e 4, mas não compreendemos essa numeração. Teria ocorrido algum engano? A numeração foi alterada? No geral o trabalho está muito bom.

O artigo ''Levantamento e sazonalidade de pragas e inimigos naturais na fase inicial de cultivo de café conilon em Itacoatiara-AM'' tem mérito científico e aborda uma assunto importante, pois estuda a diversidade de insetos em diferentes genótipos de café em uma região de abertura para o cultivo desta espécie de planta. Estudos dessa natureza demanda grande esforço amostral e tempo de avaliação e isto ressalta ainda mais o artigo. E a conclusão que o sistema de base ecológica apresentou diversidade de insetos auxilia a avançar na realização dos estudos para demonstrar que sistemas complexos são equilibrados.