Resposta Produtiva Do Feijão-carioca à Aplicação De Biorregulador

DOCUMENTAÇÃO

Tema: Agricultura

Temas Correlatos: Ciências do solo;

Acessos neste artigo: 8


Certificado de Publicação:
Não disponível
Certificado de Participação:
Não disponível

COMPARTILHE SEU TRABALHO

AUTORIA

Gabriela Naibo , Everson Kuhn Sbruzzi , Adilto Luiz Papini Junior , Vilmar Lemes Corvalan , Jaqueline Gaio Spricigo , Cristiano Nunes Nesi , Mauricio Vicente Alves

ABSTRACT
A cultura do feijão (Phaseolus vulgaris L.) apresenta grande importância para a economia brasileira, sobretudo por se tratar de um alimento consumido por todas as classes sociais, e por ser cultivado por agricultores de diversos perfis, em diferentes escalas e sistemas de produção. A produtividade brasileira de feijão na safra 2016/17 alcançou a média de 1.240 kg ha-1 e totalizou 1.380,4 mil toneladas, mostrando um aumento de 33,5 % em relação à safra passada. No entanto, a média produtiva do país ainda é considerada baixa, e pode ser justificada por fatores como o baixo nível técnico empregado pelos produtores e o cultivo em solos de baixa fertilidade. Desse modo, para que a produtividade da cultura do feijão se eleve a cada safra, são constantemente exigidas novas tecnologias de produção. Sendo assim, o presente trabalho foi desenvolvido com o objetivo de avaliar a resposta produtiva do feijão-carioca BRS Estilo à aplicação foliar de diferentes doses de regulador de crescimento no estádio V4. O experimento foi desenvolvido em Ipuaçu/SC. O delineamento experimental utilizado foi o de blocos casualizados, com cinco tratamentos (doses de Stimulate® de 0, 250, 500, 750 e 1000 mL ha-1) e quatro repetições. A semeadura foi efetuada mecanicamente, utilizando espaçamento de 50 cm e densidade aproximada de 13 a 14 plantas m-1. Os resultados obtidos demonstraram que não houve incremento na produtividade do feijão com diferentes doses de regulador de crescimento vegetal na fase V4, assim como não houve diferença significativa entre os tratamentos em relação aos componentes do rendimento como o peso de mil grãos, o número de grãos por vagem e número de vagens por planta.

Para participar do debate deste artigo, .


COMENTÁRIOS

Trabalho esta bem escrito, tem uma escrita clara ,segue todo o padrão formal da escrita acadêmica, tem um bom objetivo, matérias e métodos de fácil compreensão, com relação ao resultados e discussão os autores trouxeram diversos autores que tiveram resultados parecidos com os encontrados no artigo. Conclusão sucinta e objetiva. Como sugestão poderia os autores incluírem a logo do Congresso no artigo.

Foto do Usuário Ricardo Guilherme Kuentzer 26-04-2021 15:09:50

Parabéns aos pesquisadores pelo trabalho! Muito importante discutir produtividade com uma das culturas, talvez, base da alimentação do brasileiro. A pergunta; Como não houve resposta significativa nos tratamentos na fase V4 para a cultura com o estimulante de crescimento, o grupo achou novos resultados em outra fase vegetativa? Pergunto isso, pois poderia ser interessante observar outras fases de crescimento e desenvolvimento dentro da pesquisa. Parabéns!!!

Trabalho muito bem escrito, trouxe um tema muito debatido atualmente, não só na cultura do feijão como em todas as outras de interesse econômico.Uma sugestão seria realizar novamente o experimento, porém com mais aplicações durante o ciclo da cultura.