EFICIÊNCIA DE Bacillus spp., NO BIOCONTROLE IN VITRO DE Macrophomina phaseolina E PROMOTOR DE CRESCIMENTO VEGETAL

DOCUMENTAÇÃO

Tema: Fitopatologia

Acessos neste artigo: 15


Certificado de Publicação:
Não disponível
Certificado de Participação:
Não disponível

COMPARTILHE SEU TRABALHO

AUTORIA

Francisca Elisângela Maniçoba

ABSTRACT
Bactérias do gênero Bacillus são amplamente encontradas no solo, sendo conhecidas como rizobactérias, pois promovem o crescimento de plantas e atuam como agentes de biocontrole contra fitopatógenos. Assim, o objetivo deste trabalho foi determinar o potencial antagônico in vitro de dois isolados de Bacillus contra a Macrophomina phaseolina, bem como a patogenicidade destes isolados para o meloeiro e a promoção de crescimento vegetal nesta cultura. O teste de antagonismo foi conduzido em delineamento inteiramente casualizado com cinco tratamentos (2 tempos de crescimento de M. phaseolina  - 0 e 2 dias, 2 isolados bacterianos - F Rosa e F Branco e testemunha absoluta) e cinco repetições. Após cinco dias, foi medido o diâmetro do micélio do patógeno. O teste de patogenicidade e a avaliação de crescimento vegetal foram realizados em mudas de meloeiro amarelo através do método de imersão das raízes das plântulas em suspensões bacterianas e pelo método de injeção e aspersão. As avaliações foram realizadas 20 dias após o transplantio das plântulas para os vasos. Os resultados dos experimentos foram submetidos à análise de variância e comparadas pelo teste de Tukey a 5 % de probabilidade. Os isolados de Bacillus apresentaram melhor atividade antagônica quando a inoculação foi feita no tempo zero de crescimento da M. phaseolina com 63,20% e 77,40% de inibição do crescimento micelial do patógeno pelos isolados F Rosa e F Branco, respectivamente. Os isolados bacterianos não foram patogênicos às plantas de meloeiro. A promoção de crescimento vegetal na cultura do meloeiro evidenciou-se apenas na parte radicular, onde o isolado F Rosa se destacou no aumento do comprimento das raízes apresentando uma média de 38,1 cm e o isolado F Branco se destacou no aumento do peso das raízes com média de 36,3 g. 

Para participar do debate deste artigo, .


COMENTÁRIOS
Foto do Usuário Rosicleia Da Silva 03-05-2021 19:19:45

Oi pessoal. O artigo esta bem escrito e organizado. Parabéns! Não trabalho com Bacillus, mas já li alguns trabalhos em que os autores definem a UFC. Será que em um estudo próximo, seria interessante deixar claro, principalmente, na etapa de suspensão e injeção (teste de patogenicidade)? No mais, os resultados de vocês servirão como base para estudos futuros.

Foto do Usuário Maicon Fernando Petry De Paula 10-05-2021 03:55:53

Parabéns pelo trabalho pessoal! Achei muito interessante que as cepas de Bacillus foram isoladas a partir de plantas de meloeiro e testadas na própria cultura. Minha sugestão é que vocês realizem um experimento para testar a produção de metabólitos voláteis, já que vocês citaram esse fator na discussão do trabalho. Também senti falta de uma analise estatística fatorial para comparar os resultados entre os tratamentos e os diferentes tempos.

Foto do Usuário Maicon Fernando Petry De Paula 10-05-2021 04:11:27

Vocês pensam em testar as duas cepas de Bacillus no controle de doenças de outras culturas?

Olá! Primeiramente gostaria de parabenizar pelo trabalho! Eu fiquei com dúvida na etapa de inoculação das plantas. Qual a quantidade/volume das suspenções bacterianas foi utilizada? Minha sugestão para vocês é explicar melhor essa etapa na metodologia. Excelente trabalho!

Foto do Usuário Renata Mori Thomé 12-05-2021 17:08:37

Olá Pessoal, Parabéns pela pesquisa de vocês, traz resultados importantes para o controle biológico atualmente. Senti falta no trabalho de vocês da definição do quanto da suspensão de Bacillus foi utilizado para o tratamento. Gostaria de saber se vocês não pensam em realizar um experimento com uma solução livre de células de Bacillus? Com o intuito de descobrir se era a bactéria mesmo que estava tendo efeito antagônico ou seus compostos! Sugiro também, a realização de um teste de produção de AIA pela bac, já que na discussão foi levantado esse posicionamento, visto que talvez seja isolados diferentes de Bacillus.

Foto do Usuário Estela Mariani Klein 13-05-2021 13:48:43

Trabalho bem escrito e objetivo, grande contribuição aos estudos na área de controle biológico, parabéns! No trabalho foi mencionado a capacidade das bactérias do gênero Bacillus de produzir metabólitos secundários, sugiro a realização de testes em relação a esse assunto. Uma dúvida, qual a concentração bacteriana utilizada na suspensão para a inoculação?

Foto do Usuário Daniel Henrique Leite 14-05-2021 11:44:04

Gostaria de saber a concentração bacteriana utilizada? Acho qu seria muito importante para o trabalho deixar claro essa parte