Capacidade de parasitismo de Trichogramma pretiosum (Hymenoptera: trichogrammatidae) a óleos essenciais de Syzygium aromaticum e Cymbopogon citratus

DOCUMENTAÇÃO

Tema: Agricultura

Temas Correlatos: Seletividade;

Acessos neste artigo: 9


Certificado de Publicação:
Não disponível
Certificado de Participação:
Não disponível
AUTORIA

Verônica Maiara Rosa Novais , Thaís Carolina Silva Cirino , Moisés Daniel De Oliveira , João Pedro Andrade Bomfim , Franciely Da Silva Ponce , Regiane Cristina Oliveira De Freitas Bueno

ABSTRACT
O manejo integrado de pragas (MIP) tem como base o monitoramento, taxonomia e níveis de ação, tendo como objetivo manter a população dos insetos-praga abaixo do nível de dano econômico, visando à sustentabilidade e a redução do impacto ambiental causado pela utilização incorreta de defensivos agrícolas.
O Trichogramma pretiosum é uma importante ferramenta no manejo de lepidópteros-praga sendo o agente de controle biológico mais utilizado no mundo.
Os óleos essenciais são uma alternativa natural para o controle de pragas e aparentemente menos nocivo ao meio ambiente quando comparado as moléculas sintéticas. No entanto, pouco se sabe sobre a ação dessas substâncias sobre inimigos naturais, sendo necessários estudos que pautem sobre a utilização de óleos essenciais no manejo integrado de pragas. Neste sentido, o presente estudo teve como objetivo investigar se os óleos essenciais do Craveiro (Syzygium aromaticum L.) e do Capim-limão (Cymbopogon citratus L.) possuem interferência na capacidade parasitismo do T. pretiosum.

Para participar do debate desse artigo, .


Comentários
Foto do Usuário Rosicléia Matias Da Silva 03-05-2021 11:05:59

Ótimo trabalho, muito bem redigido e estruturado. O tema é extremamente relevante para atualidade.

Foto do Usuário Wagner Arruda De Jesus 07-05-2021 13:38:21

Parabéns aos autores, o tema é muito relevante para as demandas atuais da agricultura. Minha pergunta é: a menor longevidade causada pelos óleos podem implicar em uma menor eficiência destes organismos no campo? e minha sugestão é: Se possível, aplicar o mesmo trabalho a outros insetos que fazem o controle biológico, para analisar a interação desses óleos com o parasitismo e a longevidade dos insetos. Obrigado!!!