DESENVOLVIMENTO DO MILHO EM FUNÇÃO DE DIFERENTES DOSES DE GESSO EM SOLO SEM TOXIDEZ DE ALUMINIO

DOCUMENTAÇÃO

Tema: Ciências do solo

Acessos neste artigo: 12


Certificado de Publicação:
Não disponível
Certificado de Participação:
Não disponível

COMPARTILHE SEU TRABALHO

AUTORIA

Marcos Vinicius De Barros Oliveira , Felipe Quartucci

ABSTRACT
RESUMO: O milho é o segundo grão mais plantado no Brasil. O manejo de fertilidade e acidez de solo garantiram grandes incrementos de produtividade, com destaque para o manejo da acidez de subsolo com gesso. No entanto, o gesso agrícola vem sendo aplicado também em áreas sem toxidez de alumínio e com níveis adequados de cálcio em subsuperfície. Neste sentido, este trabalho objetivou avaliar o efeito de diferentes doses de gesso no desenvolvimento da cultura do milho em solos sem toxidez de alumínio. O experimento foi implantado em Itapetininga-SP, em vasos de 18 litros, em delineamento em blocos casualizado e 4 repetições. O solo utilizado no experimento possuía textura argilosa e não possuía alumínio em solução. Os tratamentos foram: T1) sem aplicação de gesso (testemunha); T2) metade da dose e; T3) dose recomendada. Aos 50 dias após a semeadura, foram avaliados a altura, massa verde da parte aérea e crescimento do sistema radicular até os 15 cm e mais profundo que 15 cm. Os resultados obtidos mostraram que não houve diferença estatística entre os tratamentos para as variáveis altura de plantas, massa verde de parte aérea e massa verde de raízes 0-15 cm. No entanto, para a massa verde de raízes >15cm e massa verde de raízes total, os resultados indicam diferenças estatísticas entre os tratamentos, onde o T3 diferiu estatisticamente do T1. Já o T2 foi estatisticamente igual ao T1 e ao T3. Os resultados indicam possível resposta para doses intermediárias entre 50% e 100% da dose recomendada. O gesso pode ser recomendado em áreas sem toxidez de alumínio, com efeitos positivos no desenvolvimento do sistema radicular e possível redução de stress hídrico. Há potencial de redução da doses e, portanto, sugerem-se novas pesquisas com doses intermediárias entre a dose recomendada e metade da dose.
Palavras chave: Acidez trocável. Cálcio. Sistema radicular. Zea mays.

Para participar do debate deste artigo, .


COMENTÁRIOS
Foto do Usuário Ivo Jose Basso Junior 16-04-2021 18:57:02

Excelente artigo, agregará bastante conhecimento à agricultura!

Foto do Usuário Bruna Barbosa Dos Santos 03-05-2021 14:35:00

Trabalho muito esclarecedor sobre o tema, válido para a discussão sobre a recomendação e eficiência.

Foto do Usuário Daniel Henrique Leite 04-05-2021 11:48:41

Trabalho muito bom, de grande importância e de grande impacto.