Germinação do tomateiro Chapolin® com utilização de diferentes substratos e sombreamentos

Temas: Fisiologia


Certificados:
Não disponível

Acessos nesse artigo: 3


AUTORIA

Natália Fernandes Rodrigues , Mariana De Oliveira Pereira , Cristina Moll Hüther

ABSTRACT
A fibra de coco (FC) vem sendo indicada para produção de mudas de muitas espécies olerícolas. Assim, o objetivo desse trabalho foi avaliar a interação de diferentes composições de substratos e de distintos níveis de sombreamento na germinação de tomateiro da variedade Chapolin®. Para isso o experimento foi conduzido em três diferentes níveis de sombreamento (50, 70 e 90%) e 5 diferentes misturas de substratos com distintas concentrações de argila (A) e fibra de coco (FC): T1 (100% A), T2 (80% A + 20% FC), T3 (60% A + 40% FC), T4 (40% A + 60% de FC) e T5 (100% FC), em delineamento inteiramente casualizado, com quatro repetições para cada nível de sombreamento e concentração de substrato. O início da germinação ocorreu no quinto dia após a semeadura (DAS) e perdurou até o décimo primeiro DAS. O tipo de concentração de substrato que com maior porcentagem de germinação foi o substrato T2 e o sombreamento foi o 90%. Quando analisado a interação do substrato com sombreamento foi o T2 a 90%. Assim, para nessas condições experimentais é indicado a concentração de 80% de argila com 20% de fibra de coco, quando conduzido em sombreamento de 90%.
Palavras-chave: Solanum lycopersicum; fibra de coco; argila; luminosidade

Para participar do debate desse artigo, .


Comentários
Foto do Usuário Luiz Vitor Barbosa De Oliveira 09-04-2021 22:51:18

Para o cultivo orgânico teria alguma alternativa? Visto que somente alguns substratos são permitodos.

Foto do Usuário Walter Aparecido Ribeiro Júnior 19-04-2021 03:45:32

Senti falta de uma discussão contrapondo resultados de outros pesquisadores. De maneira geral o trabalho é bem escrito, com detalhes importantes. Qual o motivo da escolha do sombreamento de 50, 70 e 90%? O sombreamento foi aferido para verificar se estava retendo essa quantidade de luz na casa de vegetação? Dos substratos não foi realizada a caracterização, com dados de pH e condutividade? Seria um dado a mais e melhor para explicar o motivo do resultado do tratamento T2 ter sido melhor.