Primeiro registro do caracol Bradybaena similaris atacando pomares jovens de pitaya

DOCUMENTAÇÃO

Tema: Entomologia

Acessos neste artigo: 11


Certificado de Publicação:
Não disponível
Certificado de Participação:
Não disponível

COMPARTILHE SEU TRABALHO

AUTORIA

Marcelo Mendes De Haro , Alessandro Borini Lone

ABSTRACT
Os frutos conhecidos como pitaya, ou fruta-do-dragão, pertencem, em sua maioria, ao gênero de cactáceas Hylocereus. Originárias do continente americano, estão distribuídas desde o sul da América do Norte, toda a América Central e Centro Norte da América do Sul, apresentando grande distribuição nos países da Costa Rica, Equador, Peru, Venezuela, Panamá, Uruguai, Brasil, Colômbia e México. Os caracóis se destacam dentre os principais grupos que se aproveitam destas alterações ambientais em cultivos agrícolas. Os moluscos são suscetíveis à desidratação, assim, o microclima oriundo da presença de cobertura de solo viva, e a ausência de inimigos naturais, propiciam o crescimento populacional destes indivíduos em cultivos agrícolas e jardins.
Sendo assim, objetivou-se esclarecer o agente causal dos danos causados na implantação de cultivos de pitaya de Santa Catarina, identificando a espécie e possíveis riscos da presença da mesma. Indivíduos foram coletados em pomares localizados no litoral sul e norte do estado de Santa Catarina. Durante as amostragens foi identificada, pela primeira vez, a espécie de caracol  Bradybaena similaris (Férussac) (Mollusca: Bradybaenidae) atacando plantas. Causa danos principalmente nas brotações dos cladódios, consumindo as camadas mais superficiais da matéria vegetal, impedindo seu crescimento, formando lesões e permitindo a entrada de patógenos que, posteriormente, podem levar a podridões.

Para participar do debate deste artigo, .


COMENTÁRIOS

Prezados autores, Parabenizo pelo trabalho e contribuição para a área! Deixo também os comentários: - Algumas palavras e pontuações estão unidas, como: ''ano,predominando'', ''cultura.Mundialmente''. - Rever e melhorar o trecho o objetivo ''agente causal dos danos causados''. - Entre as quatro espécies de pitaya estudadas, houve alguma que foi mais atacada pelo caracol? - É possível fornecer uma estimativa de percentual de plantas atacadas por pomar? - A Figura 1B mostra a podridão causada após o ataque do caracol? Ou é a raspagem causada pelo caracol (antes da ocorrência da podridão)? Acho que seria melhor detalhar mais o dano do caracol. - Como se trata de um relato de nova praga para a cultura da pitaya, talvez seja interessante fazer uma consideração final, falando dos desafios e oportunidades para pesquisa com a praga. (Obs. relembrando, são apenas sugestões)